WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


novembro 2019
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


:: nov/2019

Paciência de cristã resulta em conversão de familiares

A resiliência de Naomi, por amor a Cristo, resultou na conversão de familiares no Mali

A resiliência de Naomi, por amor a Cristo, resultou na conversão de familiares no Mali

Há 30 anos, Naomi enfrenta os insultos e as provocações dos parentes e vizinhos, por ser uma discípula de Jesus. A descendente de egípcios vive no Mali, onde já foi refugiada interna, durante uma revolução jihadista em Timbuktu, em 2012. Nessa época, a Portas Abertas conheceu a história da cristã e passou a assisti-la nas necessidades. O relacionamento dela com a família não era fácil, as irmãs e irmãos tratavam Naomi com deboche e hostilidade por causa de Cristo.

Hoje, Naomi vive em uma pequena casa com os três filhos, as irmãs e os sobrinhos, totalizando nove pessoas. O local sempre foi movimentado, mas agora a atmosfera da casa mudou. “Eu tenho boa notícia! Três das minhas irmãs se tornaram cristãs!”, conta eufórica. Os milagres das conversões foram resultado do exemplo que ela dava quando não reagia às afrontas dos familiares. “Meus filhos costumavam ficar furiosos quando minhas irmãs me insultavam. Eu disse a eles para não retaliar, mas para mostrar o amor de Cristo. Então, o amor que nós transmitimos venceu”, comemora.

Sustento em meio à perseguição

Onde Naomi vive, os cristãos não conseguem empregos por causa da fé. Por isso, com o auxílio da Portas Abertas, ela alugou uma loja e passou a vender tecidos e joias para ocasiões especiais, como casamentos. O negócio estava indo bem, mas outra pessoa criou um estabelecimento com os mesmos produtos e os clientes muçulmanos pararam de comprar da cristã. Com a queda de renda, ela fechou a loja. :: LEIA MAIS »

Liberdade de cristãos incomoda autoridades em Cuba

Os ensinamentos cristãos batem de frente com a ideologia comunista de Cuba

Os ensinamentos cristãos batem de frente com a ideologia comunista de Cuba

Um encontro verdadeiro com Cristo promove transformação em todos os âmbitos da vida de um cristão. Mas para o governo de Cuba, isso é consequência de ideologias contrárias aos ensinos comunistas. “O trabalho dos líderes religiosos não tem foco político, nós temos constantes problemas com as autoridades quando as pessoas conhecem a palavra de Deus, porque há um efeito libertador sobre elas”, explica o pastor Yilber em entrevista ao blog CSW.

Desde 2010, ele tem experimentado a perseguição. Tudo começou com a designação dele para uma igreja em uma pequena cidade no centro de Cuba. Lá, ele recebeu um mandado de prisão preventiva e foi expulso da igreja e da cidade. Porém, em 2012, o líder cristão não desistiu de ser igreja e passou a reunir as pessoas em casa. Como consequência, a polícia começou a rondar os lares dos membros da igreja, ameaçando-os de perderem os empregos. Esse tipo de assédio enfrentado por Yilber não é comum ser realizado por governantes, e sim por grupos de jovens, mulheres e até professores. Tanta oposição atinge mais do que apenas o líder cristão. “A coisa que mais machuca minha família, especialmente meus filhos, é a discriminação e o ódio que recebemos das pessoas com quem temos que interagir”, revela Yilber. :: LEIA MAIS »

Crescimento de evangélicos avança na Argentina, diz pesquisa

Serviço de batismo de uma igreja evangélica na Argentina. (Foto: Reprodução/Evangélico Digital)
Serviço de batismo de uma igreja evangélica na Argentina. (Foto: Reprodução/Evangélico Digital)

O governo da Argentina publicou esta semana os números da Segunda Pesquisa Nacional sobre Crenças e Atitudes Religiosas. É uma pesquisa detalhada que compara a evolução social e religiosa dos argentinos nos últimos 11 anos (de 2008 até hoje).

Segundo os dados desta pesquisa, o número de pessoas que se identificaram como cristãos evangélicos na Argentina aumentou de 9% em 2008 para 15,3% em 2019.

Enquanto isso, a Igreja Católica Romana do país latino-americano perdeu membros. Em 2019, 76,5% da população identificada com o catolicismo, agora o número caiu para 62,5%.

O declínio é mais acentuado se a afiliação católica for comparada à década de 1960, quando mais de 90% dos argentinos foram identificados como católicos.

Por outro lado, quase 2 em cada 10 cidadãos argentinos dizem agora que não se identificam com uma religião (18,9%), um aumento significativo em comparação a 2008 (10%).

Desconfiança das instituições

“A pesquisa mostra que a crença em Deus é de cerca de 80%, mas estamos em um contexto de desconfiança nas instituições em geral, uma realidade que afeta também as organizações religiosas”, disse o sociólogo Fortunato Mallimaci, líder do grupo de pesquisa contratado pelo Ministério da Sociedade, Cultura e Religião.

“Isso pode ser o que explica por que 60% dos crentes admitem que seu relacionamento com Deus é administrado por conta própria e apenas 30% frequentam um edifício da igreja”, diz Mallimaci.

O debate do aborto na Argentina

A pesquisa oficial também perguntou aos argentinos questões controversas, como o aborto. No momento, a maioria está longe de ter uma mentalidade pró-vida.

18,7% da população é contra o aborto sob quaisquer circunstâncias. Por outro lado, 27,3% acreditam que o aborto deve ser um direito das mulheres.

A posição dos católicos é muito parecida com o resto da população: 22,3% acreditam que deveria ser um direito e 17,3% são contra o fim da vida dos bebês ainda não nascidos.

Os evangélicos são mais claramente pró-vida, mostra a pesquisa. 4 em 10 se opõem totalmente ao aborto e apenas 7,3% dizem que deve ser um direito das mulheres.

Cultura cristã

Apesar do crescimento do laicismo, a Argentina continua sendo um país com maioria que se identifica com a cristandade.

82,9% dizem que têm algum grau de devoção por Jesus Cristo, 81,9% acreditam em Deus e 75,9% no Espírito Santo – embora todas as três crenças tenham diminuído desde 2008.

O fato de os cidadãos se identificarem com o catolicismo e o evangelicalismo não significa que eles são cristãos comprometidos com uma implicação regular em uma igreja local.

Os números mostram que há cada vez mais pessoas que ignoram a igreja e adotam crenças “à la carte”.

43% das pessoas assistem a missas ou cultos “apenas em ocasiões especiais” e 29,6% nunca o fazem. O restante da população frequenta uma igreja mensalmente (9,6%), semanalmente (11%) e todos os dias (6,2%). Entre os que se relacionam com a fé cristã “institucionalmente”, os evangélicos são os que mais participam de celebrações coletivas e visitam um edifício da igreja (55,3%). Entre os católicos, a frequência da igreja cai para 25%.

Fonte: Guiame

México: cristã é expulsa de vila por não negar a fé

Apesar da expulsão, Rosário não guarda rancor no coração e vive nova vida em outra cidade

Apesar da expulsão, Rosário não guarda rancor no coração e vive nova vida em outra cidade

A certeza de ser filha do rei Jesus manteve Rosario Pérez Martinez firme até quando perdia a casa onde morava, no estado de Chiapas, México. Em agosto de 2017, um grupo de moradores da comunidade de Yatzil Tres Lagunas destruiu o encanamento e as instalações elétricas da casa do irmão dela, Brígido. Mais tarde, a mesma coisa foi feita na residência da cristã. Mas ela não ficou aflita pelas perdas materiais, e sim pela segurança dos filhos. Para alívio de Rosario, eles foram levados para outro lugar e estavam protegidos.

No dia seguinte, a cristã estava com o coração angustiado. “Eu disse aos meus filhos que iria fazer algumas compras, mas me senti obrigada a dizer-lhes que, se algo acontecesse comigo, eles deveriam pegar algum dinheiro e ir até a tia Hortensia, esposa do meu irmão Brígido, e ficar lá”, conta.

Então, após andar alguns metros, Rosario foi agarrada pelos braços e levada por um grupo de mulheres até as autoridades municipais. Ela ficou em um local sujo e repleto de fezes de morcego, desde as 6h da manhã até o dia seguinte. “Pedi a Deus por paciência e autocontrole. Foi muito difícil. Não pude conversar com meus filhos por várias horas. Estava muito frio e eu ainda usava as mesmas roupas. Finalmente, meu filho mais velho veio e me trouxe uma camisola”, lembra.

Enquanto a cristã estava detida, os pais dela cuidavam dos filhos. O primogênito foi a Comitán procurar ajuda para soltar a mãe, mas não encontrou. Ele resolveu fazer uma denúncia no jornal local, então os policiais prenderam o garoto também, por dois dias. A mãe e o filho foram libertados após assinarem um documento concordando em deixar a comunidade e ter a casa incendiada.  “Assinei o documento porque meus pais vieram com muitas pessoas de outra comunidade próxima que estavam dispostas a nos ajudar. Não pude voltar para minha casa, não aguentava vê-la sendo destruída”, explica.

Novas perspectivas de vida

Rosario foi cercada pelos moradores e todas as estradas também foram bloqueadas por eles. Mas o pastor da igreja que ela frequentava a ajudou a deixar o local, levando-a para a rodoviária. Finalmente, a cristã se estabeleceu em Villa de Las Rosas, cidade próxima a Comitán. O marido dela trabalha em outro estado por causa de melhores oportunidades de emprego e salário. :: LEIA MAIS »

Mais de 100 pessoas aceitam Jesus em estreia de “Mais Que Vencedores” no Brasil

O filme “Mais Que Vencedores” é a sexta obra cinematográfica dos irmãos Kendrick. (Foto: Divulgação)
O filme “Mais Que Vencedores” é a sexta obra cinematográfica dos irmãos Kendrick. (Foto: Divulgação)

O lançamento de “Mais Que Vencedores” (Overcomer) aconteceu na última quinta-feira (21) em mais de 400 salas de cinemas do País. Foram mais de 100 mil brasileiros em frente às telonas para assistir à sexta obra cinematográfica dos irmãos Kendrick, produtores já conhecidos no Brasil pelos filmes “Desafiando Gigantes”, “Corajosos”, “Quarto de Guerra” e “À Prova de Fogo”.

Diversas famílias e grupos das igrejas se reuniram de quinta a domingo para conferir a mensagem do filme “Mais Que Vencedores”.

Um desses casos foi a Igreja Batista Atitude em Nova Iguaçu, que reuniu mais de 1200 pessoas. De acordo com a assessoria de imprensa do filme, o pastor Rubens Teixeira relatou que a iniciativa gerou 105 novas conversões dentro de uma sala de cinema.

Para Ygor Siqueira, CEO da 360 WayUp, que está à frente do lançamento do filme no Brasil, ver todo esse movimento das igrejas e dos líderes é gratificante.

“Todo filme, quando é lançado nos cinemas, tem apenas o fim de semana para performar em público e, assim, se manter em cartaz. O apoio de líderes, igrejas e pessoas em formar grupos e irem de quinta a domingo é fundamental. Em poucos dias, o filme impactou mais de 100 mil pessoas. Mais Que Vencedores estreou como o filme mais visto em todo país. Creio que cada um fazendo sua parte, muitas vidas serão tocadas por meio do Amor de Deus”, disse Ygor.

O filme conta a história do técnico de basquete, John Harrison (Alex Kendrick), que vê sua vida ao avesso quando a escola onde ele e sua esposa, Amy Harrison (Shari Rigby), ensinam é impactada pelo fechamento da maior fábrica da cidade.

Em meio às incertezas e forçado a treinar um esporte do qual ele não gosta, John é inspirado por uma amizade surpreendente e uma atleta improvável, Hannah (Aryn Wright- Thompson). Rumo a uma jornada de desafios e descobertas, John e Hannah seguem na maior corrida de suas vidas.

 

Estudantes são presos e proibidos de adorar na Etiópia

Cristãos protestantes não podem mais fazer cultos em Debark, na Etiópia

Cristãos protestantes não podem mais fazer cultos em Debark, na Etiópia

Estudantes do estado de Amhara, na Etiópia, estão proibidos de se reunir para adoração em Debark, noticiou o site World Watch Monitor. No dia 3 de novembro, um número desconhecido de cristãos, entre eles estudantes e líderes, foi preso. Todos estavam participando de um evento da Sociedade Etíope de Estudantes Evangélicos. A polícia explicou que o motivo das detenções foi porque a região deve ser exclusiva da Igreja Ortodoxa.

Em maio, o grupo recebeu ordem para se reunir apenas em Gonder, 100 km distante de Debark. As autoridades foram informadas, para tomarem uma posição diante dessa ameaça, mas ignoraram os pedidos dos estudantes. Os membros do grupo de jovens tiveram que assinar um acordo prometendo que não fariam mais seus eventos em Debark. Após assinar o documento, eles foram liberados da prisão. Cerca de sete líderes cristãos ficaram detidos até o dia 6 de novembro e também tiveram que assinar papéis semelhantes.

A pressão na região tem aumentado bastante e, com um ataque a uma igreja em 2008, a perseguição tem feito com que os protestantes da região se desloquem para Gonder. Apesar da Constituição etíope garantir a liberdade religiosa, as divisões étnicas e religiosas se sobressaem e, por medo, poucos protestantes se mantêm em Debark.

A Etiópia foi um dos primeiros países a adotar o cristianismo como religião oficial. E por consequência disso, várias denominações têm surgido. Assim, a Igreja Ortodoxa Etíope (EOC) tem perdido a exclusividade e influência no governo. Essas mudanças reforçam ainda mais a perseguição aos cristãos na região, que já enfrentam opressão islâmica, paranoia ditatorial e antagonismo étnico. Todos os fatores colocaram o país na 28ª posição da Lista Mundial da Perseguição 2019.

Pedido de oração :: LEIA MAIS »

Garoto rebelde tem encontro com Cristo na Malásia

A pressão de ser filho de um pastor fez com que Lukas fugisse de Cristo, na Malásia

A pressão de ser filho de um pastor fez com que Lukas fugisse de Cristo, na Malásia

Trabalhar com o improvável é uma das especialidades de Deus, e o pastor Lukas* é testemunho vivo disso. Desde a infância, sentia-se pressionado por ser filho de um pastor cristão em Sarawak, leste da Malásia. No início da infância, ele conta que era inteligente, mas fez amigos que não se importavam com a educação. “Eu não queria estudar. Então, meus amigos e eu íamos jogar sinuca, andar de moto, faltar à escola, etc. Também costumava causar muitos problemas em todos os lugares que eu ia, sempre estava brigando e bebendo”, explica.

O desgosto dos pais era grande, até que um dia o pai de Lukas citou o garoto durante um sermão, como uma pessoa rebelde e sem esperança. Mesmo cansados do adolescente, eles mandavam o filho para o acampamento da igreja, sempre com a esperança de que ele tivesse um encontro com Cristo. Ao invés disso, o jovem aproveitava as ocasiões para conhecer as garotas. Porém, um dia, os amigos de Lukas começaram a ter experiências profundas com o Espírito Santo e os líderes começaram a chamar um a um para orar. Quando chegou a vez dele, nada aconteceu. Então pensou: “Talvez eu seja tão ruim que Deus não queira falar comigo, ou não seja aceito”. :: LEIA MAIS »

Cristãs são agredidas por não deixarem o evangelho

Ore pelas cristãs perseguidas de todo o mundo

Ore pelas cristãs perseguidas de todo o mundo

Hoje é o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra Mulheres, para combater um problema que afeta países de todo o mundo.  De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma em cada três mulheres já sofreu algum tipo de violência física e/ou sexual. Em 35% dos casos, os agressores são os próprios parceiros. As consequências são prejuízos à saúde física, mental e reprodutiva.

O perfil comum do agressor é baixa escolaridade, vítima de maus-tratos na infância,  ter presenciado a mãe sofrer violência, uso de álcool e outras drogas, crença na inferioridade das mulheres e pensamento de ser dono delas. Já as característas da agredida são baixa escolaridade, ter visto a mãe sofrer violência do parceiro, vítima de abusos na infância, culpa pela violência sofrida e considerar o homem como superior e detentor de poder.

Infelizmente, as mulheres cristãs estão incluídas nesses dados, e, nos países em que há perseguição aos cristãos, a escolha delas pelo cristianismo as torna ainda mais vulneráveis. De acordo com o relatório de 2019 da Portas Abertas intitulado “Perseguição Religiosa Específica de Gênero”, em 59% dos países pesquisados, a perseguição à mulher cristã está diretamente relacionada à agressão sexual e 47% também incluíram o estupro como maneira de punir a escolha da mulher pelo cristianismo. Em sociedades onde a noção de honra e vergonha são muito fortes, os crimes sexuais são usados como maneira de desclassificar e manchar a reputação da cristã diante de todos. “Mulheres e meninas devem manter normas elevadas em relação a sua sexualidade e trará vergonha para a família se  deixar de fazê-lo. Elas são, portanto, propensos à violência (sexual), especialmente quando fazem escolhas não esperadas delas, como a conversão ao cristianismo”, explica o relatório em relação às cristãs na Líbia. :: LEIA MAIS »

Justiça adia audiência de apelação de cristãos no Irã

Ser cristão no Irã é sinônimo de atentar contra a segurança nacional

Ser cristão no Irã é sinônimo de atentar contra a segurança nacional

Ser cristão no Irã é uma tarefa árdua e muitos pagam com a liberdade, pelo desejo de fazer o nome de Jesus conhecido. O pastor assírio Victor Bet Tamraz, e os cristãos Amin Nader Afshari e Kavian Fallah Mohammadi foram presos durante uma celebração de Natal em 2014. Já em agosto de 2016, Amin foi detido, novamente, com Hadi Asgari e mais três outros crentes. Então, em junho de 2017, a esposa do pastor Victor, Shamiram Issavi Khabizeh, foi convocada pelas autoridades para dar explicações das atividades dela. Os três casos seriam revistos durante uma audiência de apelação no dia 13 de novembro. A igreja iraniana pediu oração dos irmãos e irmãs ao redor do mundo, mas a sessão foi adiada porque o tribunal estava “muito ocupado”, explicou Kavian.

O líder cristão Victor teve sua condenação em junho de 2017, a sentença foi de 10 anos de prisão por ter agido contra a segurança nacional. Amin, Hadi e Kavian também foram acusados pelo mesmo “crime” e deverão cumprir uma pena de 10 a 15 anos de detenção. Já Shamiram, deverá ficar 5 anos presa pelo mesmo delito, e por agir contra o regime organizando pequenos grupos, participando de seminários no exterior e treinando líderes e pastores para serem “espiões”. :: LEIA MAIS »

Igrejas domésticas são monitoradas e proibidas na Índia

Cenário religioso na Índia não favorece cristãos, mas a igreja continua crescendo

Cenário religioso na Índia não favorece cristãos, mas a igreja continua crescendo

Ser cristão na Índia tem sido um desafio desde que os extremistas hindus chegaram ao poder. Para eles, ser indiano é seguir ao hinduísmo e tudo o que for diferente dessa fé deve ser rejeitado. Além de enfrentar os ataques nas igrejas, o sul do país agora bate de frente com outro gigante: o governo. As autoridades passaram a restringir a construção de prédios para o culto cristão.

A saída encontrada pelos membros das igrejas foi a reunião doméstica. Porém, até mesmo essa decisão tem encontrado barreiras. “Quando o governo coloca restrição nos salões para adoração, os cristãos recorrem à comunhão nas casas, mas agora nós vemos que elas estão sendo cada vez mais monitoradas. Em vários distritos existem instruções oficiais da polícia para barrar a adoração nas casas”, conta um dos líderes de uma igreja parceira da Portas Abertas.

As pessoas que escolhem ir por essa via estão sujeitas a retaliação por meio de vigilância e ataques. Não há um local na Índia em que os cristãos estejam seguros. As investidas contra eles são frequentes e as autoridades não agem para protegê-los. Até mesmo um líder de alto escalão, como o ministro Mukhtar Abbas Naqvi, ignorou os dados e considerou o assunto como um problema comum de violência.

Alguém que compartilha Cristo no país é considerado agente de governo estrangeiro. Então, se uma igreja cristã auxilia pobres, ela é acusada de atrair as pessoas com dinheiro e benefícios materiais. Mesmo com tantas dificuldades, as conversões em massa acontecem e alarmam ainda mais os governantes. :: LEIA MAIS »

Cristãos sírios são preparados para fazer discípulos e resistir à perseguição

Igreja Síria se prepara para discipular e resistir à perseguição.

Igreja Síria se prepara para discipular e resistir à perseguição.

Nem só de doação de alimentos vive um cristão na Síria. Uma das maiores necessidades é capacitar uma pessoa a tornar-se um discípulo de Jesus.  Segundo Nigel*, um dos treinadores, dois tipos de cursos são oferecidos no país:

Talmatha(discipulado em árabe) ensina os princípios básicos para ser um seguidor de Jesus.  Mostra como o cristão faz um devocional, de que maneira deve responder à Bíblia, fala do propósito da vida e ensina o discipulado.

Big Picture: são três dias de curso que capacita os cristãos a enfrentarem situações difíceis, principalmente a perseguição. O objetivo é mostrar como Deus transforma dificuldades em algo belo, para a glória dele.

“Muitas igrejas têm boas atividades, mas os cristãos são imaturos. Então, nós treinamos as pessoas para serem bons mentores. Elas devem servir aos outros, por isso ensinamos o método do curso”, explica Nigel. Em 2019, 20 pessoas na faixa etária de 30 a 40 anos foram treinadas e estão prontas para voltar às igrejas para discipular outros cristãos.

Após o treinamento de discipulado, outro grupo de 35 cristãos ex-muçulmanos, todos curdos, participaram do Big Picture. Houve uma mistura entre os novos crentes e outros mais experientes. “Eles responderam positivamente, ficaram muito engajados durante as lições. O material era novo para eles e ficaram interessados em ouvir e participar”, conta o colaborador. :: LEIA MAIS »

99% dos missionários não têm dinheiro para necessidades básicas

Por Gospel Prime

Missionário prega e batiza indianos. (Foto: Living Waters Mission)

ONG Stewardship, organização que apoia cerca de 3 mil missionários que alcançam cerca de 250 mil pessoas, revelou que 99% dos cristãos que estão em projetos missionários ao redor do mundo vivem abaixo do custo de vida recomendado e possuem dificuldades para cobrir o essencial.

A instituição mostra que a maioria dos voluntários em tempo integral no ministério cristão renuncia às necessidades básicas e deixa de atender às demandas financeiras ao longo do ano.

O diretor de generosidade Daniel Jones disse ao Premier que a maioria vive com o suficiente, mas quando despesas maiores são necessárias, como o carro quebrar ou o aluguel aumentar, por exemplo, não há nenhum valor disponível para cobrir.

“Para as pessoas que trabalham no exterior com frequência, pode haver casos de doenças em que não há serviço público para recorrer, precisando pagar por custos médicos adicionais”, explica.

Diante desta informação, a organização lançou uma nova campanha para fornecer aos voluntários apoio adicional durante o período de Natal.

Jones diz que as necessidades essenciais de cada trabalhador podem variar dependendo de vários fatores, entre eles o tanto de viagem que eles realizam, o número de filhos e outros.

Além disso, muitos missionários não pedem ajuda financeira por vincularem a falta de fé na provisão de Deus.

Ele argumenta que, embora a confiança em Deus seja sempre essencial, isso não significa que não podemos procurar ajuda: “Vejo evidências na Bíblia de épocas em que o povo de Deus foi mostrado e incentivado pelo Senhor a arrecadar fundos e ir a outras pessoas dentro da comunidade de crentes para dizer: ‘Olha, eu estou fazendo este trabalho evangélico específico, por favor, você vai me apoiar?’”.

 A organização sediada no Reino Unido lançou uma nova campanha em uma tentativa de dar a cada trabalhador cristão em tempo integral da Stewardship apoio adicional de 100 libras durante o período de Natal.

O avanço do islamismo na Ásia

A China é um dos países asiáticos com grande população muçulmana

A China é um dos países asiáticos com grande população muçulmana

Ao ouvir a palavra “muçulmano”, provavelmente o que vem a sua mente seja a imagem de um xeique árabe e países como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iraque ou qualquer país do Oriente Médio. Parece óbvio que essa seja a região mais muçulmana do mundo, mas não é. A maior população islâmica se encontra no Sudeste Asiático. Para surpresa de muitos, alguns dos maiores países muçulmanos do mundo estão na Ásia: Indonésia, Paquistão, Índia e Bangladesh. O islamismo avançou, e muito, além das fronteiras do seu berço, o Oriente Médio. E hoje a Indonésia é o país com a maior população islâmica, seguido pela Índia.

O Estado Islâmico (EI) pode estar sendo derrotado no Oriente Médio lentamente, mas o movimento está apenas mudando de endereço: indo do Oriente Médio para o Extremo Oriente, onde, longe da vista da grande mídia, está construindo novas fortalezas. Paquistão, Afeganistão, Malásia, Sul das Filipinas e até mesmo a Ásia Central e o noroeste da China são ameaçados pela ideologia extremista islâmica e têm seus próprios afiliados do EI. Um dos exemplos mais chocantes foi a ocupação da cidade filipina de Marawi em 2017, quando muitos cristãos foram executados. Nos países islâmicos do Sudeste Asiático, os cristãos ex-muçulmanos enfrentam muitos desafios para permanecerem fiéis ao Senhor.

O que está acontecendo na Ásia islâmica?

Existe um movimento muçulmano fundamentalista que quer implementar a sharia (conjunto de leis islâmicas) e varrer os cristãos do continente asiático. De certa forma, a igreja foi condenada à morte, mas não com uma bala, uma cadeira elétrica ou uma forca. O método deles é bem mais cruel, pois é uma morte lenta, feita aos poucos – um ataque a uma igreja aqui, uma mulher sequestrada ali, uma criança abusada, um mártir de cada vez.

Em meio a tudo isso, há uma igreja secreta de cristãos ex-muçulmanos; uma igreja apaixonada, mas secreta e silenciada. Há também as “igrejas abertas” – abertas, mas em muitos casos fechadas para os irmãos e irmãs que nasceram em uma família muçulmana e creram em Cristo em algum ponto da vida. :: LEIA MAIS »

Mães fortalecidas criam filhos esperançosos na Nigéria

Após perder o marido em ataque extremista, Victoria recebe encorajamento na Nigéria

Após perder o marido em ataque extremista, Victoria recebe encorajamento na Nigéria

Hoje, no Brasil, comemora-se o Dia da Consciência Negra. A ocasião relembra a morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, e serve como reconhecimento da necessidade de inserir, de maneira igualitária, o negro na sociedade brasileira. Uma das primeiras coisas realizadas nas capturas dos escravos era arrancá-los de suas famílias e comunidades. Infelizmente, o enfraquecimento dos laços familiares ainda é uma tática encontrada para abater as pessoas. E isso aconteceu em Dzangol, vila remota no estado de Adamawa, Nigéria, onde mulheres e crianças perderam maridos e pais, e lutam para sobreviver.

Hoje também é celebrado o Dia Mundial da Criança. Elas têm sofrido com a vulnerabilidade pela ausência de afeto, nutrição, educação e de uma perspectiva de futuro, principalmente em contextos de violência como na Nigéria. Então, tornam-se presas fáceis para extremistas, chegando até a serem aceitas como soldados em grupos armados. A Portas Abertas visa encorajar famílias cristãs e por isso desenvolve o projeto de fortalecimento de viúvas e órfãos. Victoria e os filhos são alcançados por esta iniciativa.

Durante o segundo ataque do Boko Haram na vila onde mora, a cristã e o marido estavam sentados na porta de casa quando os extremistas apareceram uniformizados e os cercaram. Enquanto Victoria clamava pela vida do esposo, ele foi levado até a beira da estrada e morto. “Estou sofrendo com meus filhos… não consigo parar de me lembrar e sentir dor”, compartilha. Além de ajuda com a alimentação e pagamento das mensalidades escolares dos filhos, a Portas Abertas oferece aconselhamento pós-trauma. “Os ensinamentos são muito úteis, nos ensinam a viver, a administrar a pouca comida que temos e como criar nossos filhos”, testemunha. :: LEIA MAIS »

Igrejas coptas são incendiadas no Egito

A igreja copta do Egito enfrenta ataques por meio de incêndios

A igreja copta do Egito enfrenta ataques por meio de incêndios

Três igrejas coptas foram incendiadas na região do alto Egito, em um período de três semanas. As investigações sobre a causa dos incidentes estão em andamento, porém, as autoridades locais acreditam ser resultado de problemas com as instalações elétricas. Mas os líderes da igreja suspeitam de ataques premeditados.

Na manhã do dia 11 de novembro, as chamas começaram na sala ao lado da Mar-Girgis Al-Gyouschi Church no distrito de Shubra, Cairo. Apesar de provocar danos nas instalações, não houve feridos. Porém, em 16 de outubro, cinco pessoas ficaram machucadas com o incêndio da Mar-Girgis em Mansoura, 120 km a nordeste da capital egípcia. Outra igreja que sofreu com o fogo foi a Mar-Girgis no distrito de Helwan, Cairo.

Em entrevista ao World Watch Monitor, o líder cristão Samil Mohsen, da Mar-Girgis em Mansoura disse que as imagens gravadas mostraram que alguma coisa foi jogada, do telhado do mercado de vegetais, atrás da igreja. As câmeras não estavam direcionadas para a parte superior, então não gravaram quem poderia ter atirado algo.

Outro líder cristão da igreja em Mansoura e também engenheiro elétrico, Armia Iskander, contou que é improvável que um curto-circuito tenha causado o incêndio. “Quando nós construímos a igreja, desenhamos os circuitos elétricos da melhor maneira possível. O painel de distribuição de eletricidade é equipado com dispositivos de proteção contra sobretensão e aumento de alta voltagem”, explicou. :: LEIA MAIS »

A perseguição aos cristãos no Azerbaijão

No país, as tradições familiares e regras são rígidas e a desobediência a membros mais velhos da família não é aceitável

No país, as tradições familiares e regras são rígidas e a desobediência a membros mais velhos da família não é aceitável

No Azerbaijão não são permitidas atividades religiosas além das instituições controladas pelo Estado. Os agentes do governo estão infiltrados em todas as congregações religiosas. Pastores e outros líderes da igreja são regularmente convidados para conversas com a polícia. Isso gera um enorme medo – ninguém sabe em quem confiar. Como resultado, poucos se atrevem a falar com estrangeiros e poucas informações sobre perseguição são conhecidas fora do país. O nível de opressão no Azerbaijão é tão alto que os cristãos azerbaijanos acham mais fácil evangelizar no Irã do que em seu próprio país.

A média de pressão aos cristãos está em um nível muito alto (11,2), aumentando de 11,0. A elevação ocorreu principalmente nas esferas da vida privada e família, um indício que a pressão na comunidade muçulmana tem crescido. Os indicadores para a influência do governo (nas esferas nação e igreja e com menos extensão na comunidade) permanece estável. A esfera com maior nível de pressão é a vida privada, que reflete a seriedade da pressão aos convertidos em ambientes muçulmanos.

A pontuação para violência está baixa, diminuindo de 2,4 em 2018 para 1,5 em 2019. Poucas pessoas ousam falar e, portanto, o número de incidentes de violência reportados do país é baixo. Nos últimos cinco anos, apenas em 2017 o Azerbaijão não esteve presente no Top 50 dos países onde é mais difícil ser cristão. Desde 2015, os níveis de pressão em todas as esferas da vida subiram e parecem estáveis em níveis muito altos, principalmente na vida privada, igreja e nação. A média de pressão ecoa esse aumento e estabilização. :: LEIA MAIS »

Líder cristão é morto em ataque na Síria

Após ataques, cristãos da Síria pensam em sair do país novamente

Após ataques, cristãos da Síria pensam em sair do país novamente

Três bombas explodiram em 11 de novembro em Qamishli, na Síria, matando seis pessoas e ferindo 23. Apenas três dos feridos eram cristãos. No mesmo dia, o líder cristão Hovsep Petoyan e o pai dele, Abraham Petoyan, também foram assassinados por extremistas. Eles estavam junto com o diácono Fadi Sano a caminho de uma igreja na província de Deir Ez Zor. O carro deles foi identificado, e membros do Estado Islâmico abriram fogo.

Para o pastor George Moushi, da Alliance Church, não havia motivos para a emboscada contra o cristão. “Ele era um homem pacífico, que não tinha problemas com ninguém, e nem era político. A morte dele chocou todos os cristãos… nós estamos orando para não termos mais ramificações deste evento”, conta. Hovsep deixou a esposa, Caron Lahdo, e os três filhos, Hoving, Anna e Cayana.

“Pessoas nos ligaram dizendo: ‘Por que você continua nesta área?’. Isso faz com que elas comecem a pensar sobre imigração, de novo, por causa do medo e da insegurança. Tudo isso afeta a estabilidade e impacta a existência de cristãos nesta área”, conta George. Para ele, as explosões são maneiras de perturbar a paz e a segurança das pessoas, principalmente de quem decide ficar: “Algumas vivem com medo, outras preferem ficar isoladas. Todas essas coisas criam uma pressão psicológica, especialmente em quem tem filhos”. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia