Mario Bramnik
Mario Bramnik

Líderes da Iniciativa de Fé da Casa Branca se reuniram no centro de aprendizado judaico Aish HaTorah, tendo ao fundo o Monte do Templo, nesta terça-feira (15) para comemorar a abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém.

O presidente da Coalizão Latina para Israel (LCI), ministério evangélico que promove a união de forças de cristãos e judeus, pastor Mario Bramnick, é um colaborador do portal Gospel Prime, que estava representado no evento.

Bramnick afirmou que: “Como líderes religiosos, devemos celebrar a mudança da Embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém, a cidade que simboliza a pátria ancestral do povo judeu por milhares de anos”. Ele acredita que há um cumprimento profético em andamento à medida que outros países se propõem a fazer a mesma coisa.

A pastora Paula White, a congressista Michele Bachmann, o pastor Jim Garlow, o pastor Steven Khoury e o bispo Harry Jackson também estiveram presentes na reunião. Além deles, lideranças importantes como o embaixador dos EUA em Israel, David Friedman, o tenente-coronel Marco Moreno e Danny Ayalon, ex-vice-ministro das Relações Exteriores de Israel, fizeram discursos.

O embaixador agradeceu aos pastores por seu apoio e comemorou a mudança histórica. Friedman lembrou que Jerusalém sempre foi a capital do povo judeu. “Isso é um fato. Os fatos não mudaram em 3.000 anos. Essa é a maneira como abordamos os fatos, com otimismo e coragem. A verdade resiste ao teste do tempo.”


Membros da LCI

Lourdes Aguirre, do LCI, disse que a mensagem enviada com a mudança das embaixadas é consistente com a mensagem de paz desejada: “Estamos protegidos porque nosso presidente defende a paz para todas as religiões. Seu desejo para o Oriente Médio é que todos se unam  contra um inimigo comum: os terroristas”.

O pastor Jim Garlow afirmou durante o encontro que: “Quando as pessoas conhecem, leem e amam a Bíblia, elas ficam ao lado do povo judeu e da nação de Israel”.

O rabino Yechiel Eckstein, que lidera a Irmandade Internacional de Cristãos e Judeus, com sede em Jerusalém, agradeceu os evangélicos por desempenharem um papel “fundamental” para que Jerusalém seja reconhecida como a capital de Israel. É o caso de Jimmy Morales, presidente da Guatemala, que inaugura sua embaixada esta semana.

“A mudanças das embaixadas para a Cidade Santa no 70º aniversário do Estado judeu não poderiam ter acontecido sem o apoio dos cristãos”, disse Eckstein. “O futuro de Israel está ligado ao fortalecimento do vínculo dos cristãos com nosso país”.

Com informações adicionais de Roberto Grobman