WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


janeiro 2012
D S T Q Q S S
« dez   fev »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


:: 7/jan/2012 . 13:42

Chávez condena ataque suicida que deixou 26 mortos na Síria

Onda de Revoltas O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, expressou na madrugada deste sábado sua “mais contundente e inequívoca condenação” ao atentado suicida que na sexta-feira deixou ao menos 26 mortos e 63 feridos em Damasco, reiterando seu “respaldo” ao ditador sírio Bashar Assad.

Segundo Chavez, o governo da Venezuela repudia o atentado, que “não irá quebrar a vontade do povo sírio e de seu governo de impulsionar um amplo diálogo nacional”.

Chávez reiterou seu respaldo a Assad “em seu esforço em impulsionar uma saída política soberana e independente das tentativas de desestabilização”, disse o texto.

Um atentado suicida matou pelo menos 26 pessoas e deixou 63 feridos na sexta-feira em Damasco, duas semanas depois de um ataque similar atribuído pelas autoridades à rede terrorista Al Qaeda, mas que a oposição atribuiu ao próprio regime de Assad.

Polícia investiga maus-tratos contra criança morta em Ribeirão Preto

A Polícia Civil de Ribeirão Preto (313 km de SP) investiga suposto crime de maus-tratos cometidos contra Daniel Henrique Rezende, 2, que morreu na noite de ontem (6), no Hospital das Clínicas da cidade. De acordo com o boletim de ocorrência registrado pelo hospital, o menino apresentava vários hematomas e arranhões pelo corpo. Familiares negam agressões.

Daniel foi encaminhado ao HC após ter sido levado pelo padrasto e a mãe à UBDS (Unidade Básica Distrital de Saúde) Quintino Facci 2, na noite de quinta-feira.

Ainda de acordo com as informações do boletim de ocorrência, Daniel chegou ao HC com os olhos entreabertos, com aparência semiconsciente e “depressões nas nádegas aparentando marcas de chinelo, denotando marcas de violência”.

À Polícia Militar, o eletricista Fábio Alexandre Minchio, 31, padrasto do menino, informou que estava dando banho em Daniel e que o deixou no banheiro quando ouviu o outro filho chorar. Cerca de dois minutos depois, afirma ter ouvido um barulho e retornado ao banheiro, onde Daniel estava sentado no chão com convulsões e vomitando.

De acordo com informações do HC, em dezembro passado Daniel já havia sido atendido com hemorragia craniana e fratura na perna esquerda. Por causa disso, o menino havia começado um tratamento com o medicamento contra convulsões.

À polícia, a mãe da criança, Ana Aparecida de Souza, 23, afirmou que, na época, o filho havia voltado de um passeio na casa da madrasta, em Franca (400 km de SP), se queixando de dores de cabeça.

OUTRO LADO

Procurado pela Folha, o gesseiro Álvaro Leandro Rezende, 44, pai do menino, negou qualquer agressão cometida pela madrasta ou por ele. “A última vez que tive contato com o meu filho foi no dia 27 de novembro e ele foi embora bem, brincando”, afirmou.

Segundo ele, Daniel morava com a avó em Franca e passava fins de semana alternados na casa dele e da mãe.

Álvaro afirmou que, em setembro, a criança passou cerca de 20 dias em Ribeirão e voltou para Franca com machucados na boca e na perna. Na ocasião, segundo ele, a mãe disse que o menino havia caído da cama.

A reportagem procurou Fábio e Ana Aparecida por telefone para falar sobre o assunto, mas eles não foram encontrados na manhã deste sábado.

As investigações serão conduzidas pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Ribeirão.

Oposição pede explicações de ministro sobre privilégio a filho

A oposição pediu neste sábado explicações sobre o privilégio que o ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional) deu ao seu filho, o deputado federal Fernando Coelho (PSB-PE), na liberação do maior volume de emendas parlamentares da pasta em 2011, conforme a Folha revelou na edição deste sábado.

Coelho foi o único congressista que teve todo o dinheiro pedido empenhado (reservado no Orçamento para pagamento) pelo ministério (R$ 9,1 milhões), superando 219 colegas que também solicitaram recursos para obras da Integração.

Sérgio Lima – 4.jan.2011/Folhapress
Ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional)
Ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional)

“Isso não é normal. Ocorreu um privilégio e isso tem de ser explicado. Como o Congresso vai reagir? Os partidos todos vão querer saber por que houve esse privilégio”, disse o presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN).

Em nota, o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), também pediu esclarecimentos ao ministro da Integração e avisou que pretende protocolar um requerimento de informação.

O presidente do DEM e o líder tucano ainda responsabilizaram a presidente Dilma Rousseff pela crise envolvendo a liberação de recursos na pasta.

“Isso é um comportamento sistemático do governo. A responsabilidade do ministro deve ser dividida com a presidente”, afirmou José Agripino.

“Nestes últimos nove anos ficou claro que os governos petistas não gostam de transparência. Nesta semana a presidente Dilma determinou o óbvio, que os critérios sejam técnicos. Deveriam ser desde sempre”, afirmou Nogueira.

Os dois ainda se manifestaram sobre a promessa de Fernando Bezerra de ir ao Congresso se explicar nesta semana.

Para o presidente do DEM, o ministro não deveria ir agora, em pleno recesso parlamentar.

“Essa ida é inócua. Não tem consequência prática. O Congresso está em recesso. Existe uma comissão temporária, mas ele (o ministro) tem de falar para todo o Congresso”, afirmou.

Já Duarte Nogueira disse que está disposto em cobrar o ministro no Congresso, mesmo no recesso. “Se o ministro comparecer ao Congresso, vamos questioná-lo sobre os critérios utilizados para a liberação dos recursos tanto para emendas como para ações de sua pasta”, disse o tucano.

Homicídio no Bairro Alto da Colina, próximo ao anel rodoviário

Por Rodrigo Ferraz

Ontem (sexta-feira), por volta das 7h15, numa estrada de chão do bairro Alto da Colina, próximo Ao Anel Rodoviário, foi encontrado o corpo de um homem ainda não identificado, aparentando ter 20 anos, vítima de disparos de arma de fogo na cabeça e no tórax. Não há informação sobre autoria do crime.

Adolescente é preso suspeito de matar radialista na BA

Menor disse que cometeu o crime para se vingar de denúncias feitas à polícia

Do R7, com Rede Record

Um adolescente de 16 foi preso, na quinta-feira (5), suspeito de ter assassinado o radialista Laércio de Souza, da Rádio Sucesso, de Camaçari (BA), na última terça-feira (3). O menor confessou o crime e disse que se vingou porque o radialista o denunciou à polícia. Uma testemunha já reconheceu o suspeito.
Segundo testemunhas, Souza foi atingido enquanto acompanhava as obras de um galpão em sua propriedade, no bairro Jardim Renatão.

O radialista ainda teria tentado fugir para uma casa próxima, mas foi alcançado pelo atirador, que fugiu em seguida.

Agentes da 22ª Delegacia de Polícia disseram que Souza vinha sofrendo ameaças de traficantes de drogas da região por causa da construção do galpão, no qual seria instalada a sede de um projeto social.

Queda de balão mata 11 pessoas na Nova Zelândia

Polícia disse que dispositivo pegou fogo, antes de cair.
Acidente aéreo é o pior do país em mais de três décadas.

Um balão pegou fogo e caiu na Nova Zelândia na manhã de sábado (horário local), matando todas as 11 pessoas a bordo, no pior acidente aéreo do país em mais de três décadas.

A polícia afirmou que o balão parecia ter pegado fogo antes de cair em terras agrícolas perto de Carterton, 80 quilômetros a nordeste de Wellington, na ilha norte da Nova Zelândia.

Policias e bombeiros fazem cordão de isolamento em área onde balão caiu em Carterton, na Nova Zelândia, matando o piloto e dez passageiros (Foto: AP)Policias e bombeiros fazem cordão de isolamento em área onde balão caiu em Carterton, na Nova Zelândia, matando o piloto e dez passageiros (Foto: AP)

“Infelizmente, o piloto e os 10 passageiros a bordo não sobreviveram”, afirmou o comandante superintendente do distrito de Wellington, Mike Rusbatch.

O acidente aconteceu em meio a condições climáticas calmas, claras e temperatura amena, numa região bem conhecida por realizar voos de balão.

“Não podia acreditar no que eu estava vendo. Havia chamas no lado da cesta, nas cordas”, disse à TV estatal David McKinlay, que levava o seu cachorro para passear quando viu o balão pegar fogo.

Quando as chamas atingiram a cobertura, o balão caiu, ele contou.

“Havia uma chama enorme, como a forma de um lápis, talvez de 20 metros de comprimento, indo em direção ao solo a uma velocidade terrível”, acrescentou McKinlay.

O acidente é o pior desastre aéreo da Nova Zelândia desde que um voo fretado para observação turística na Antártica colidiu com o Monte Erebus em 1979, matando todas os 257 pessoas a bordo.

Motorista alcoolizado bate carro e mata passageiros no interior de SP

Seis pessoas voltavam de um sítio em um carro quando o motorista perdeu o controle e bateu no poste, que caiu sobre o veículo. Passageiros foram atingidos por uma descarga elétrica.

André Bordim Paraguaçu Paulista, SP

Um motorista alcoolizado causou a morte de duas pessoas no interior de São Paulo. O acidente foi na zona rural de Paraguaçu Paulista, região centro-oeste do estado.

Seis pessoas voltavam de um sítio em um carro quando o motorista perdeu o controle e bateu no poste. Com o impacto, o poste caiu sobre o carro e os passageiros foram atingidos por uma descarga elétrica. Pai e filha, que estavam com os corpos molhados, acabaram morrendo eletrocutados.

Outras três pessoas foram encaminhadas ao hospital com queimaduras leves. As vítimas confirmaram que o motorista ingeriu bebida alcoólica antes de dirigir. No carro, a polícia encontrou garrafas de vinho e um isopor com cerveja.

O motorista foi levado para a delegacia. Segundo os policiais, estava tão embriagado que, no caminho, dormiu na viatura. Cambaleante, o homem entrou na delegacia. Três horas depois do acidente, o motorista acordou e vai prestar depoimento durante a madrugada.

Estudante de 16 anos é aprovada em nove vestibulares para medicina

‘Sempre fui exigente demais comigo’, diz Marcela.
Garota vai estudar na Universidade de São Paulo (USP).

Vanessa Fajardo Do G1, em São Paulo

Marceloa Malheiro, de 16 anos, foi aprovada em nove vestibulares de medicina (Foto: Raul Zito/G1)Marcela Malheiro, de 16 anos, passou na USP, Unicamp, Unesp, UFRJ, Unifesp… (Foto: Raul Zito/G1)

Marcela Malheiro Santos, de 16 anos, tem o privilégio de escolher entre o curso de medicina de nove universidades brasileiras. A estudante foi aprovada nas principais instituições de ensino do país, entre elas: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Instituições em que Marcela foi aprovada
Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Universidade Estadual de São Paulo (Unesp)
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – SiSU
Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
Universidade Metropolitana de Santos (Unimes)
PUC-Campinas
PUC-Paraná
Instituições em que Marcela não foi aprovada
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

No total, Marcela prestou 13 vestibulares. Passou em nove, não passou em quatro (veja quadro ao lado). A estudante já decidiu: vai fazer o curso de medicina da USP.

Filha de um bancário e uma profissional de biblioteconomia, a estudante diz que seus pais nunca exigiram que ela fosse uma aluna excelente e tivesse sucesso no vestibular. A mãe, inclusive, avisou que a família faria um esforço para mantê-la em uma universidade particular caso ela não conseguisse vaga nas públicas. Porém, Marcela nem trabalhou com esta hipótese.

“Sempre fui exigente demais comigo. Na escola se eu tirasse nove ficava mal e ia questionar o professor”, disse Marcela ao receber a reportagem do G1 em sua casa, no bairro de Pirituba, em São Paulo, na manhã desta quarta-feira (9). Em plena entrevista, o nome da vestibulanda aparecia em mais uma lista, a dos aprovados em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Mesmo antes de concluir o ensino médio, o nome da estudante já aparecia na lista de classificados da USP. No ano passado, ela foi aprovada como treineira na área de biológicas, e no primeiro ano do ensino médio também passou para a segunda fase, mas não fez a prova porque foi viajar.

Estudante já havia sido aprovado como treineira na Fuvest em 2010 (Foto: Raul Zito/G1)Estudante já havia sido aprovado como treineira na
Fuvest em 2010 (Foto: Raul Zito/G1)

Quando criança, ela ‘pulou’ um ano
Ainda criança, Marcela mostrou seu potencial. Quando tinha 6 anos, sua mãe foi informada pela professora de educação infantil da escola onde estudava que a menina já estava alfabetizada e portanto atrapalhava o andamento da turma, por isso deveria ser matriculada no primeiro ano do ensino fundamental, ou seja, “pular” um ano. A mãe, na época, teve dificuldades de encontrar um colégio que aceitasse a matrícula já que a menina ainda não havia completado 7 anos.

Marcela fará 17 anos no próximo dia 22 de fevereiro. Para ela, a pouca idade não será problema quando estiver na faculdade. “Todo mundo estará lá com o mesmo objetivo. Foi difícil para todo mundo da mesma forma, por isso a idade não faz diferença.”

Aluna do Colégio Integrado Objetivo, em São Paulo, Marcela diz que não esperava passar em nenhum dos vestibulares que prestou. Tanto que chegou a se matricular como garantia na PUC-Paraná, uma das primeiras instituições a divulgar o resultado. “Toda vez que via meu nome na lista de aprovados ficava muito surpresa”, afirma.

Dedicação
Tanto sucesso não foi à toa. Marcela sempre foi boa aluna, ama ler e reservou o ano de 2010 para se preparar ao vestibular. Desistiu das aulas de balé, jazz e sapateado, das conversas com os amigos pela internet, e dos passeios. No máximo, dava uma volta de meia hora de bicicleta, pelo bairro onde mora, em Pirituba, aos domingos.

De manhã, frequentava as aulas regulares do terceiro ano do ensino médio, e à tarde aproveitava as atividades extras da escola, como plantão de dúvidas e aulas de redação. Em casa estudava na escrivaninha no quarto, sob silêncio total. “Nunca fui de ficar estudando o tempo todo, mas prestava muita atenção nas aulas. Os professores dão dicas do que vai cair e há questões modelo que você pode treinar”, destacou.

Nas horas de descanso dos estudos, Marcela gostava de andar de bicicleta (Foto: Raul Zito/G1)Nas horas de descanso dos estudos, Marcela gostava de andar de bicicleta (Foto: Raul Zito/G1)

A tática de Marcela foi inversa da maioria dos vestibulandos. Entre janeiro a maio de 2010, ela pegou pesado nos estudos, e relaxou no segundo semestre. “Não dá para estudar como maluca. Você fica muito cansada e dá mais nervosismo na hora da prova.”

Escolha
A opção por estudar medicina veio de empurrão dos pais que consideram que ela tem perfil para carreira. A garota não imagina como será o curso, nem tem ideia da especialidade que pretende seguir. No momento, está ansiosa com o trote. “Estou com um pouco de medo, mas conheço uma menina que está no segundo ano que pode me ajudar”, brinca.

Concluída a missão de passar no vestibular, Marcela tem planos de fazer dança de salão e voltar a viajar – uma de suas paixões. Quando fez 15 anos pode escolher entre uma festa e uma viagem. Fez a segunda opção e passou 30 dias viajando pela Europa com a irmã que também seguiu carreira em saúde e é dentista. Para comemorar o sucesso nos vestibulares, Marcela pretende fazer uma nova viagem com os pais.

Veja dicas de estudos da vestibulanda
– Se possível, dedicar o ano aos estudos e dispensar demais compromissos;
– Não estudar muitas horas por dia;
– Prestar atenção nas aulas e nas dicas dos professores;
– Responder questões de vestibulares anteriores, pois muitos modelos são mantidos;
– Ler revistas, jornais, livros e sites informativos;
– Aos alunos que ainda não estão no terceiro ano, vale a pena prestar vestibular como treineiro;
– Revisar a matéria do dia, em casa;
– Fazer uma redação por semana;
– Buscar formas de relaxar o corpo e a mente pelo menos uma vez por semana;
– Evitar comidas pesadas, como fritura, principalmente antes das provas.

‘Fera’ nos estudos, garoto de 12 anos quer cursar física quântica nos EUA

Estudante campeão de matemática criou um jogo de xadrez ‘diferente’.
Nas férias ele se diverte lendo livros e montando robôs.

Vanessa Fajardo Do G1, em Vinhedo (SP)

Pedro Henrique participa de olimpíadas desde 2010, quando passou a estudar no Etapa (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)Pedro Henrique participa de olimpíadas estudantis desde 2010 (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)

Para aproveitar as férias escolares, o estudante Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, de 12 anos, lê, monta robôs, cria jogos no computador e joga xadrez. Também costuma brincar de ‘xadramadado’, um jogo que mescla xadrez, damas e dado, que ele criou com os amigos. O garoto garante que tudo isso o diverte, e é uma forma de relaxar.

Apesar de ainda não ter concluído nem o  ensino fundamental, Pedro já tem planos para a vida acadêmica: pensa em estudar física quântica e matemática em universidades americanas como Massachusetts Institute of Technology (MIT) ou California Institute of Technology (Caltech). A opção brasileira é o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Neste ano, Pedro vai cursar o 8º ano no Colégio Etapa, em Valinhos. Até chegar a idade de prestar vestibular ele pretende continuar se divertindo com as olimpíadas estudantis de matemática, química, física, informática e robótica. As participações começaram em 2010. De lá para cá foram pelo menos 12 prêmios. Na estreia, na Olimpíada Brasileira de Informática, levou ouro. Já representou o Brasil em duas competições internacionais na Argentina e, recentemente, ganhou uma nova medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática. De todas as competições que participou, não foi premiado em apenas uma. Segundo ele, porque aproveitou mal o tempo e não conseguiu finalizar a prova toda.

O futebol Pedro dispensa, bem como os esportes coletivos, por isso pratica natação e tênis de mesa. Mas a paixão mesmo está nos livros. Na biblioteca particular em seu quarto já são 300 títulos, na última contagem não tão recente. A coleção engrossa mês a mês – são pelo menos cinco aquisições mensais. A economia da mesada semanal também é usada para adquirir novas obras, a maioria de ficção e aventura, algumas em inglês.

Garoto de 12 anos já tem mais de 300 livros na biblioteca particular (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)Garoto de 12 anos já tem mais de 300 livros na biblioteca particular (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)

“Sempre dizemos a ele que o resultado não faz diferença. Mas ele encara a olimpíada com uma prova normal, sempre vai e volta tranquilo”, diz a mãe, a consultora Silvia Sacramento, de 47 anos.

Pedro é filho único e mora com os pais na cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo, apesar de ter nascido na capital. Diz que prefere o interior porque o ar é menos poluído, e o trânsito menos complicado. Também gosta mais da rotina e disciplina de aulas do que do sossego das férias, pois no período escolar tem os horários mais definidos: de manhã cursa as aulas regulares e à tarde, participa das aulas específicas para os estudantes que disputam olimpíadas. Também vai à escola aos sábados para as aulas de robótica.

Os pais de Pedro, o consultor de informática José de Assis Alexandre de Oliveira, de 44 anos, e Silvia Sacramento, de 47, afirmam que nunca exigiram que o garoto fosse um aluno exemplar. A participação nas olimpíadas, inclusive, é uma escolha dele. “A única coisa que fizemos foi ensiná-lo a nunca estudar às vésperas de uma prova, e sempre com antecedência. O resto foi tudo com ele”, diz Silvia.

Em seu quarto, em Vinhedo (SP), Pedro Henrique tem brinquedos de lógica (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)Em seu quarto, em Vinhedo (SP), Pedro  tem
brinquedos de lógica (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)

Prodígio
Para Silvia, o filho sempre foi uma criança diferente. Desde muito pequeno fazia multiplicações complexas, tinha raciocínio lógico veloz, e aos 6 anos, assim que começou a ser alfabetizado, começou a escrever um livro. “Ele é mais estressado que a gente, eu digo para ele deixar os livros e ir brincar. Mas ele responde que se diverte com isso. É escolha dele. O que eu posso fazer? Mas acho bom ele participar das olimpíadas porque é uma forma de fazer amigos.”

O quociente de inteligência (QI) de Pedro nunca foi avaliado, por isso a família não sabe se está acima do normal. Para os pais, isso não importa. Tímido, Pedro fala pouco. A entrevista em sua casa em Vinhedo só foi possível porque sua mãe o incentivava a contar suas histórias, ou as contava sem sua permissão, fazendo avermelhar suas bochechas. Na escola, Pedro também tira notas altas nas disciplinas de humanas, mas diz que português não é o seu forte.

Dono de mais de três graus de astigmatismo, o que o obriga a não abandonar os óculos, Pedro conta que não se incomoda com o título de nerd. Na escola e até na família, é comum ser chamado assim. Para o futuro, pretende engrossar a coleção de medalhas, diplomas e menções nas olimpíadas estudantis, até chegar o dia de se dedicar totalmente à física quântica nos Estados Unidos.

Baiano tem até fevereiro para pagar IPVA com 10 % de desconto

Já quem prefere dividir o valor, o desconto é de 5% até o vencimento da primeira parcela

Sem reajustes em 2012, o baiano poderá pagar até o dia 29 de fevereiro, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), com desconto de 10%. O bônus é para quem quitar o valor integral do imposto, sem parcelamento. Já quem prefere dividir o valor, o desconto é de 5% até o vencimento da primeira parcela.

O IPVA pode ser pago isoladamente ou em conjunto com o licenciamento do veículo e pode ocorrer em três parcelas mensais, vencendo de acordo com o número final da placa do veículo. Após o vencimento, é cobrada uma multa de 0,11% sobre o valor principal multiplicado pelo número de dias em atraso. O pagamento do IPVA pode ser feito nas agências do Bradesco e do Banco do Brasil.

Confira o calendário do IPVA

Veja os cuidados na hora de contratar um transporte escolar

As recomendações são do presidente do Sindicato dos Transportadores Escolares e Turísticos do Estado da Bahia (Sintest-BA), Eurico Pires Rosas

Com a proximidade da volta às aulas, chega o momento de contratar um transporte escolar para aqueles que não podem levar seus filhos ao colégio, mas esta não é uma tarefa fácil. Na hora de escolher o serviço, os pais devem observar alguns pontos e adotar determinados procedimentos ,com o objetivo de garantir uma escolha mais tranquila e com maior confiança. O presidente do Sindicato dos Transportadores Escolares e Turísticos do Estado da Bahia (Sintest-BA), Eurico Pires Rosas, oferece algumas dicas para auxiliar os pais ao escolher o profissional.

Em primeiro lugar, deve-se verificar se o veículo é regulamentado e vistoriado pela prefeitura. “Nunca deve-se aceitar um motorista clandestino, pois ele não passa por esses procedimentos”, afirma Rosas. Para isso, os pais podem pedir a identificação do motorista (um crachá com foto), o alvará de circulação emitido pela Prefeitura (neste caso, a recomendação é olhar a validade, já que este documento é renovado a cada seis meses) e o documento do veículo.

Importante também é observar a condição do Transporte Escolar e se ele apresenta a faixa amarela (correspondendo ao padrão determinado pelo Código Brasileiro de Trânsito), com a numeração do alvará de circulação. Além disso, a Prefeitura geralmente oferece um selo para ser colocado no para-brisa, que é renovado a cada seis meses e indica que o veículo foi vistoriado.

Outra recomendação é obter mais informações sobre o profissional. “Se possível, marcar uma entrevista para conhecê-lo”, sugere o presidente do Sintest-BA. Nesta conversa, os pais podem perguntar o tempo de trabalho, em quais colégios ele atende e pedir algum contato que possa dar referência do permissionário, ou seja, informações que sustentem a contratação. É recomendável também ir ao colégio e perguntar se alguém conhece este profissional e seu trabalho por lá.

Os profissionais que conduzem veículos de Transporte Escolar devem ter um comportamento mais cauteloso no trânsito. Segundo o presidente do Sintest-BA, estes motoristas nunca podem ultrapassar a velocidade de 60km/h.

Para verificar se o condutor é permissionado, os pais também podem ligar para a Gerência de Táxi e Transportes Especiais (Getax), órgão da Transalvador. Neste caso, deve ser fornecido o número do alvará de circulação, que está disponível na porta do veículo.

Rosas destaca a importância de contratar um profissional permissionado. “Qualquer irregularidade você tem a quem se queixar, pode denunciar na Prefeitura”, diz. Segundo ele, denúncias ou esclarecimento de dúvidas podem ser feitos através dos telefones 2109-3679 e 2109-3641.

Sintest-BA orienta como reconhecer um veículo de Transporte Escolar legalizado

Vistoria
A partir da próxima segunda-feira (9), começa a vistoria dos veículos de Transporte Escolar de 861 permissionários relativa ao primeiro semestre do ano letivo, executada pela Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador). Diversas exigências devem ser atendidas e a finalidade é garantir a tranquilidade dos familiares e a segurança dos estudantes. Na ocasião, os alvarás de circulação também serão renovados.

Os permissionários deverão comparecer, das 8 às 13h, à Gerência de Táxi e Transportes Especiais (Getax) da Transalvador, situada na Avenida Vale dos Barris, com os documentos requeridos para a vistoria na data de convocação de seu alvará. O permissionário que não comparecer à vistoria no dia previsto no calendário será multado.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia