Tiago Nunes / Tribuna

Os funcionários dos Correios na Bahia vão iniciar a semana em greve, uma vez que a negociação com a empresa segue paralisada. Em assembleia realizada na sexta-feira (16), o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos no Estado da Bahia (Sincotelba) decidiu manter a paralisação, iniciada há três dias.
A greve segue com força com a paralisação de diversos setores, dentre eles a área de tecnologia, que também aderiu ao movimento. Somente os setores de entrega de remédios e administrativo seguem funcionando.
Segundo informações da presidente do Sincotelba, Simone Soares, o sindicato realizará nova assembleia na tarde de segunda-feira (19), na Praça da Inglaterra, mas a estimativa é de que a greve prossiga em função das negociações não avançarem desde então, visto que os trabalhadores desejam debater as questões ainda em greve.

Negociação

O
presidente dos Correios, Wagner Pinheiro de Oliveira, mantém a posição de que
não haverá negociação enquanto os serviços estiverem paralisados, além disso,
irá descontar o ponto dos funcionários faltantes.

A classe reivindica
aumento salarial linear de R$ 400 a partir de janeiro, reposição da inflação
calculada em 7,16% e mais 24,76% referentes a perdas acumuladas desde
1994.