O Governo do Estado e os professores universitários entrarem em acordo e acabaram com a greve que durava quase dois meses e afetava 60 mil alunos das universidades estaduais Uneb, Uefs, Uesc e Uesb. Na noite desta sexta-feira (3), uma reunião entre reitores, professores e o secretário de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, acertou os termos do acordo. Por um lado, o Governo do Estado recua da proibição de novos aumentos salariais nos próximos quatro anos – a limitação ficará em vigor até 2012. Em troca, os professores tiveram o cronograma de incorporações da gratificação sobre condições especiais de trabalho (CET) – de 70% sobre o salário base – garantido apenas para os próximos dois anos, quando antes o governo oferecia a incorporação parcelada até 2014. Desta forma, 36% da CET será incorporada aos salários até outubro de 2013. O deputado federal Nelson Pelegrino (PT), em seu Twitter, informou que na manhã deste sábado (4) as associações dos professores aceitaram a proposta, e uma nova reunião será realizada para pôr fim à paralisação “ADEs. aceitam proposta negociada entre colégio de reitores e gov. Estadual. Reunião para fechar acordo, e finalizar a greve. Vitória todos”, comemorou.