Marta Cavallini Do G1, em São Paulo

caixa econômica federal (Foto: Divulgação)

Caixa Econômica não prevê realização de
novos
concursos em 2011 (Foto: Divulgação)

A Caixa Econômica Federal diz que irá prorrogar a validade dos concursos realizados em 2010. Os três editais, para formação de cadastro de reserva, foram lançados em março daquele ano. Dois deles eram para os cargos de técnico bancário – um em nível nacional e outro para o Rio de Janeiro e São Paulo. O terceiro concurso era de nível superior, para os cargos de advogado, arquiteto e engenheiro.

De acordo com a Caixa, até o momento, foram chamados 7.323 aprovados. A validade do concurso é de um ano e pode ser prorrogada por igual período. As seleções da Caixa expirariam neste mês. Nesta semana, o G1 recebeu diversos e-mails de internautas em busca de informações sobre a possível prorrogação, já que os concursos para cadastro de reserva não têm
número de vagas definido, ou seja, os aprovados são chamados de acordo com a
demanda.


Novos prazos
O concurso para técnico bancário em São
Paulo e no Rio de Janeiro terá o prazo de validade prorrogado por mais um ano, a
partir de 13 de junho. Já o de técnico bancário em nível nacional terá o prazo
prolongado a partir de 28 de junho e, no caso do concurso para nível superior, a
prorrogação será a partir de 29 de junho.

A Caixa informa que, até o momento, foram chamados a tomar posse 2.841
aprovados no concurso de técnico bancário para SP e RJ, 4.306 no caso do técnico
bancário em âmbito nacional e 176 para os cargos de advogado, arquiteto e
engenheiro.
Os três concursos receberam o total de 760.953 inscrições. As seleções para
técnico bancário tiveram 700,2 mil inscritos – 248.688 para São Paulo e Rio de
Janeiro e 451.523 para nível nacional. Para os cargos de nível superior, o
concurso recebeu o total de 60.742 inscrições.
Sem previsão de novo concurso
A Caixa informou que não
tem previsão de realizar concursos neste ano. O banco afirma que, por se tratar
de empresa pública, possui o limite do quadro de pessoal determinado por órgãos
controladores externos e, portanto, depende de autorização para aumento do
número de empregados. “Quando isso ocorre, as vagas são distribuídas de acordo
com as necessidades estratégicas da empresa, sendo providas por candidatos
aprovados em concursos públicos externos realizados pela Caixa que se encontrem
vigentes”, informou a assessoria de imprensa.
A CEF afirma que admite aprovados tendo em vista ainda a necessidade de
preenchimento de vagas decorrentes de desligamentos por motivo de rescisão
contratual, aposentadoria e falecimentos. “Como a convocação dos candidatos
decorre do aumento do quadro de pessoal ou, ainda, da reposição de empregados
desligados, o banco não tem como prever quantas vagas devem surgir até o prazo
final de validade do concurso, nem em quais localidades haverá maior chance de
se chamar mais candidatos”, informa.