Do G1 BA com informações da Tv Bahia

cartaz baiano faz sucesso (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Baiano faz sucesso em Hollywood
(Foto: Reprodução/TV Bahia)

No cinema, uma das primeiras coisas que chama atenção do público antes mesmo de entrar na sala de cinema, é o cartaz do filme. Muito dos cartazes que são vistos por aí, saíram da cabeça de um baiano, natural de Feira de Santana. Cláudio Reis conta quais cartazes foram produzidos por ele.

“Um dos cartazes que tive mais gratificação de fazer foi a campanha de Encantada, da Disney, alguns anos atrás e o interessante desse cartaz foi que surgiu da campanha do “teaser”, que vem antes da campanha principal. Iria fazer só para França, era uma campanha que seria só francesa e se tornou o tema da campanha internacional. Esse foi o principal avanço na minha carreira”, conta.

Reis conta também como foi fazer o cartaz do filme Enrolados. “No caso de Enrolados, o desafio principal da gente era não fazer com que o filme fosse simplesmente mais uma filme de princesa da Disney. Então a gente quis mostrar o lado sapeca dessa personagem, que ela não era uma menininha bobinha esperando o príncipe encantado, mas sim, uma menina determinada que sabia o que queria”.

Ele conta como foi achar o símbolo da campanha. “Eu achei que a maçã era um símbolo muito único para ser trabalhado na campanha “teaser” que era a inicial, e o curioso é que de início, eles nem queriam que fosse tão associado a imagem da Branca de Neve. Depois de testes de um layout o pôster desenhado por mim foi o que teve o melhor resultado”, completa.

 

Além do filme de Encantada e Enrolados, Reis foi responsável por outros cartazes como Ratatouille, Tron, Príncipe da Pérsia, agora mais recentemente teve Toy Story 3. Agora os cartazes que estão prontos para chegar ao cinema são Carros 2 e os Piratas do Caribé 4.

História
Boa parte do trabalho do Cláudio vem de uma forma diferente de desenhar. Na infância, os professores diziam que ele desenhava de forma errada. “Eu sempre tive uma maneira de pegar no lápis errada, eu também nem posso dizer qual é a maneira certa, mas eu sempre peguei no lápis de uma maneira diferente. E eu lembro que os professores sempre tentavam corrigir a maneira que eu pegava no lápis”, conta. Ele explica que mesmo com a interferência dos professores, ele nunca mudou o jeito de escrever.

Para quem mora no interior e pensa em ser desenhista como Cláudio, a dica é fácil, dada especialmente por ele. “Eu nunca imaginei que desde meninote lá em Feira de Santana desenhando super-herói, eu iria estar hoje podendo fazer um pôster de um filme de super-herói, ou desses personagens da Disney. Mas eu acho o que eu posso falar de conselho para todo mundo é ter perseverança, determinação e ir atrás do que você quer”, finaliza.