Correio

Delegado acredita que pai da criança pode ter tentado matar a mulher, com quem tinha brigado, e acabou atingindo a filha.

Garota chegou com vida ao hospital São Vicente, mas não resistiu aos ferimentos

A mãe da menina Maria Lorena Silva dos Santos, de dois anos, morta por um disparo acidental em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, será ouvida nos próximos dias pelo delegado Odilson Pereira da Silva, coordenador da 10ª Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior).

Com o depoimento de Ingred Santos Silva, o delegado pretende esclarecer as circunstâncias da morte da criança ocorrida na terça-feira (3) em um dos quartos da casa da família localizada na Rua Alice Veloso, no bairro Cruzeiro. Segundo a 10º Coorpin, o pai da criança informou que ela estava mexendo no guarda roupas de seu quarto, quando deixou cair a arma de fogo, um revólver calibre 38, que estava municiado. A queda provocou o disparo acidental.

A menina foi socorrida ao Hospital São Vicente, mas não resistiu ao ferimento no abdômen e morreu logo após dar entrada. O pai dela, Danilo Gonçalves dos Santos, 22 anos, foi preso horas depois por porte ilegal de arma. Danilo relatou que possuía a arma em sua residência porque vinha sofrendo ameaça de morte por parte de um indivíduo conhecido como “Bizinho”.

Desavenças entre o casal

O pai da menina está custodiado no Presídio Regional Nilton Gonçalves à disposição da Justiça. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o delegado Odilson suspeita que Danilo pode ter tentado matar a mulher, com quem tinha brigado, e acabou atingindo a filha.

As desavenças do casal chegaram ao conhecimento da polícia por meio de testemunhas. Danilo foi encaminhado para o DPT (Departamento de Polícia Técnica), para exame de recenticidade de disparo. Dependendo do resultado, ele poderá ser autuado por homicídio culposo (sem intenção de matar) ou homicídio doloso.