A associação ChinaAid publicou atualizações dos principais casos de perseguição acompanhados por eles:
Gao Zhisheng
O advogado cristão de direitos humanos Gao Zhisheng foi sequestrado por 740 dias. Houve um breve reaparecimento dele em março de 2010 (leia a reportagem aqui), mas desapareceu em abril e não há notícias desde então. A embaixada chinesa rejeitou por muitas vezes a petição de soltura de Gao, que foi assinado por cerca de 150.000 pessoas em todo o mundo. Seu paradeiro é ainda desconhecido. Bob Fu recentemente convocou a liberação de Gao em uma conferência de imprensa junto do deputado Frank Wolf, em 18 de janeiro de 2011. O site para a petição e mais informações em inglês do Gao pode ser acessado aqui.

Alimujiang Yimiti

Na região do extremo oeste da China, em Xinjiang, as autoridades sentenciaram o cristão Uyghur Christian Alimujiang a 15 anos de prisão sob falsas acusações de ceder informações sigilosas do Estado. Em uma evolução positiva em dezembro passado, A Suprema Corte Popular de Xinjiang concordou em rever o caso. Nenhuma decisão foi ainda anunciada. A ChinaAid continua apoiando a família de Alimujiang, financia a sua defesa jurídica e continuará até que ele seja livre. O site em inglês referente a seu caso pode ser acessado aqui.

Dr. Fan Yafeng

Dr. Fan é um dos principais defensores da democracia constitucional e o responsável pelos Advogados de Direitos Humanos da China, o Instituto de Pesquisa e Cultura Shengshan (Holy Mountain) e a Igreja Shengshan (Holy Mountain. Ele continua em prisão domiciliar desde o seu regresso para casa em 18 de dezembro de 2010. Durante sua prisão houve tortura por vários dias. Dezenove advogados de Pequim escreveram uma carta protestando contra a tortura de Fan e Gao.

Chen Guangcheng

Em 08 de fevereiro, a ChinaAid recebeu um vídeo chocante(disponível aqui com legenda em inglês) sobre Chen Guangcheng, o advogado cego autodidata de direitos humanos que denunciou os 130.000 abortos em massa e esterilizações forçadas em Linyi County, na Província de Shandong, em 2005. Chen foi liberado no final de uma pena de prisão de quatro anos em 09 setembro de 2010, mas desde então, está em prisão domiciliar.

O vídeo mostra Chen, sua esposa e filha vivendo em condições miseráveis, sem contato externo e detidos ilegalmente em sua casa. Chen descreve que tem sido monitorado diariamente por três turnos de agentes, com um composto por 22 pessoas.

Chen e sua esposa Yuan falam com um espírito inabalável e um coração valente para expor o tratamento desumano do governo chinês. Ele agradece ao apoio de todo o mundo, e afirma que nunca deixará de lutar por justiça e direitos.

O vídeo já recebeu mais de 33.000 acessos no YouTube.

Segundo a ChinaAid, logo após a postagem do vídeo e por causa dele, o casal foi espancado pela polícia. A agressão foi tão violenta que eles ficaram incapazes de sair da cama, e lhes foi negado o direito de ir ao hospital para cuidados médicos.
Tradução: Carla Priscilla Silva/Portas Abertas