Franco-atiradores das forças especiais da Líbia atacaram neste sábado um grupo que estava reunido na segunda maior cidade do país, Benghazi, para lamentar a morte de 35 manifestantes na sexta-feira. Segundo um funcionário de um hospital local, 15 pessoas morreram no ataque, incluindo um homem aparentemente atingido por um míssil antiaéreo.

Mais cedo, as forças de segurança atacaram um acampamento de manifestantes contra o governo em Benghazi, deixando mais mortos e feridos, segundo testemunhas. O grupo de direitos humanos Human Rights Watch, com sede em Nova York, estima que pelo menos 84 pessoas morreram em três dias de protestos, com base em informações de hospitais e testemunhas. As informações são da Associated Press.