Agência Brasil

 O número de mortos nas manifestações do Egito pode chegar a 80 informou a Agência Lusa citando fontes dos serviços de saúde. O número de feridos não foi divulgado, mas milhares estão feridos.

 O Egito enfrenta uma série crise política depois que manifestante saíram às ruas para pedir a renúncia do Presidente Hosni Mubarak que está no poder a 30 anos.
 Segundo um novo balanço, ontem, os confrontos entre a polícia egípcia e manifestantes deixaram 62 mortos, dos quais 35 no Cairo. Hoje, mais 11 pessoas teriam morrido, sendo três no Cairo, três em Rafah e cinco em Ismailiya.
 O exército estabeleceu toque de recolher nas principais cidades egípcias e Mubarak nomeou ontem (30) um vice-presidente pela primeira vez desde que chegou ao poder. No entanto, a nomeação não acalmou os ânimos dos manifestantes que permanecem nas ruas.