Ela e o esposo, originários da Índia, trabalhavam num ministério evangelístico no país

 Missionária é morta a tiros no México

Uma missionária morreu num hospital no sul do Texas (EUA) após o caminhão em que ela e o marido estavam entrar em conflito com o posto de controle do cartel de Drogas.
Nancy Davis, 59 anos, morreu em McAllen a cerca de uma hora e meia após ser atingida por homens armados. Sam Davis disse às autoridades que estavam a cerca de 70 Km ao sul da fronteira, quando eles aceleraram pelo posto, provocando uma perseguição e tiroteio, onde Nancy foi golpeada na cabeça.
O casal, originário da Índia, trabalhava num ministério no México. Como preocupações de segurança, os EUA emitiram um alerta de viagem no Departamento de Estado.

O diretor de ministérios de fronteira da Buckner International Jorge Zapata disse: “Há muitos ministérios que a gente costumava fazer no México, mas por causa da violência, estamos protegendo os grupos de missão”.

Mesmo com a violência, equipes missionárias não estão sentindo o impacto no número de equipes. Por enquanto, uma agência relatou uma correlação direta entre a queda no número de envio de missionários ao México e o aumento da violência. 

Mas as equipes disponíveis para levar o Evangelho não fazem diminuir as necessidades espirituais ou da pobreza esmagadora.

Zapata diz que trabalhar com as colônias do lado dos EUA abre muitas portas. “Temos mais grupos de missão que vão para o nosso ministério por causa da violência que está ocorrendo no México. Grupos missionários descobrem o que o Ministério Buckner tem feito ao lado do Texas, com famílias que vivem na pobreza e cumprem o ministério com as comunidades locais”.

Na verdade, as equipes têm feito no lado dos EUA o que eles faziam na fronteira com o México. “Estamos trabalhando com os ministérios e autoridades locais com 32 centros comunitários ao longo da fronteira, de Brownsville, Texas, todo o caminho até El Paso, ao lado de grupos México. A Missão deve se sentir segura e protegida, porque mesmo o nosso pessoal de segurança local tem aumentando a sua segurança quando grupos de missão vêm para a fronteira”. 

Fonte: MNN