Fernanda Chagas/ Tribuna da Bahia

 Conforme prometido, o prefeito João Henrique, até então PMDB, deu entrada ontem em seu pedido de desfiliação partidária ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

 A expectativa, segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, é que, levando em consideração que o gestor “vem sendo vítima de calúnia e depreciação por parte de correligionários”, o TRE remeta parecer favorável ao prefeito. Ainda, segundo a assessoria, o ato oficial por parte do PMDB ontem, só reforça a tese de que não existe clima para ele continuar na legenda. 

 Confiante na decisão do TRE, João Henrique não perde tempo e trabalha em prol de decidir para que legenda migrar. O PTN e o PHS surgem no tabuleiro das possibilidades. O prefeito tem “flertado” ainda com PV, PDT e o PP. 

 Entretanto, nos corredores do Palácio Thomé de Souza circula que a ida de João ao PTN, além de fortalecer sua base na Câmara, o aproximaria do governador Jaques Wagner (PT), já que o PTN tem como meta formar um bloco com o PSC na Assembleia Legislativa e sendo assim levar mais seis deputados para a base de Wagner.

 O secretário municipal de Educação e presidente estadual do partido, João Carlos Bacelar, por sua vez, nega que tenha tido qualquer conversa com o chefe do executivo, mas não hesitou em dizer que as portas da legenda estão abertas para o alcaide. “Ele ainda não conversou nada comigo, mas posso adiantar que seria uma honra tê-lo em nosso quadro”.