Líliam Cunha l A TARDE On Line

O funcionário da Acrinor – Acrilonitrila do Nordeste S.A, empresa localizada no Polo Petroquímico de Camaçari, Manoel Lima Barbosa, morreu no início da tarde desta quarta-feira, 19, quando realizava o carregamento de um isotanque contendo acetona cianídrica (mistura de ácido cianídrico e acetona).

De acordo com o Sindicato dos Químicos e Petroleiros do Estado da Bahia, o incidente ocorreu na parte da manhã e o funcionário entrou em contato com a sala de controle da indústria, por meio do rádio, para informar que não estava se sentindo bem. Na Acrinor há 20 anos, Barbosa foi encaminhado ao PAME (Pronto Atendimento Médico do Polo), onde chegou lúcido, mas sofreu uma parada cardíaca e morreu.

As primeiras informações sobre o ocorrido são de que o funcionário sofreu uma intoxicação causada pela inalação do produto químico ao qual fazia o carregamento.

Logo após o ocorrido, a empresa deu início a uma investigação interna para verificar as causas do incidente. De acordo com as primeiras avaliações o isotanque que Barbosa manipulava não apresenta sinais de vazamento.

Insegurança – Esta é a segunda morte registrada no Polo Petroquímico de Camaçari em menos de 30 dias. No dia 27 de dezembro de 2010, Amarildo Araújo Rodrigues, de 39 anos, funcionário da empresa RIP, terceirizada da Braskem, morreu após ser atingido por um jato de vapor.

Rodrigues fazia a montagem de um andaime, quando uma linha de condensando de vapor, da Unidade de Insumos Básicos, se rompeu.