A Tarde

Lojistas e clientes foram prejudicados com o sistema fora do ar

A operadora OI deverá prestar esclarecimentos aos consumidores lesados com a interrupção dos serviços de telecomunicações, nesta terça-feira, 21, quando o prédio da operadora no bairro do Itaigara foi consumido por um incêndio. A determinação foi feita pelo Procon-Ba, através de contato estabelecido com a operadora, e prevê informações sobre prazos para restabelecimento dos serviços e posicionamento adotado em relação ao pagamento das faturas do mês de dezembro.

De acordo a superintendente do Procon-BA, Cristiana Santos, a informação é um direito garantido pelo Código de Defesa do Consumidor, razão pela qual a empresa tem o dever de ir à público, por todos os meios de comunicação disponíveis, para prestar esclarecimentos à população. A superintendente destacou ainda que a empresa não poderá cobrar pelos serviços não prestados durante o período de indisponibilidade, o que poderia ser caracterizado como enriquecimento sem causa.

 

O incêndio, que teve início por volta das 9h30 desta terça-feira, na central da operadora, localizada no Itaigara, afetou também o comércio e operações bancárias. Em muitos casos, como a telefonia móvel, os serviços ainda não foram totalmente restabelecidos. Uma nota técnica com orientações aos clientes da OI será disponibilizada pelo Procon no site da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia (SJCDH).

Serviços – Além do serviço de atendimento ao cliente da Coelba, através do telefone 0800 071 0800, que ficou comprometido por conta do incêndio, outros serviços à população de Salvador também foram comprometidos.

É o caso do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho (SineBahia) que, por conta da pane dos sistemas, opera manualmente e oferece, por enquanto, apenas a habilitação ao Seguro-Desemprego. A intermediação de vagas de emprego está suspensa temporariamente, mas todos os funcionários estão nos postos, aguardando a regularização do serviço.

A resposta da OI – Em comunicado oficial enviado à imprensa, a OI informou que os técnicos da companhia tiveram acesso ao local do incêndio na manhã desta quarta-feira, 22, e deram início à avaliação da extensão dos danos causados, o que deverá permitir que a operadora informe quais os prognósticos para restabelecimentos de cada um dos serviços afetados. De acordo com a assessoria da operadora, os principais indícios apontam que a causa do incêndio foi um curto-circuito.

A OI informou, através da nota, que parte dos serviços de telefonia fixa e banda larga em Salvador já foram normalizados e, “com o redirecionamento do tráfego de voz, a rede de telefonia móvel da companhia voltou a operar”.

Diante dos transtornos causados pelo incidente, a operadora informa ainda que “adotará medidas emergenciais visando a minimizar os efeitos do incêndio para seus clientes que porventura ainda não tiveram seus serviços normalizados”.

De acordo com a nota da operadora, “os clientes do serviço de telefonia fixa afetados poderão retirar aparelho para acesso emergencial provisório, que garantirá a comunicação de voz pelo período que o serviço permanecer interrompido. Já os clientes do Oi Velox que tiveram seu serviço de banda larga paralisado em decorrência do incêndio receberão mini-modem 3G para conexão sem fio à Internet”.

Os acessos emergenciais provisórios poderão ser retirados no Fiesta Bahia Hotel, na Avenida Antônio Carlos Magalhães, nº 771, no Itaigara (ao lado do prédio onde houve o incêndio). Para tanto, é necessário que o cliente compareça ao local munido de documento de identidade e da última conta vinculada ao serviço afetado. O atendimento terá início a partir do meio-dia desta quinta-feira, 23.