Pesquisa mostra que jovens casados são mais felizes, saudáveis e mais prósperos

 Estudo: 95% dos americanos, com menos de 30 anos, querem se casar

Apesar do número crescente de divórcio, um novo estudo do Pew Research Center sobre a forma como os americanos vêem o casamento e a família mostra que 95% das pessoas com 30 anos planejam se casar.
Com o título ligeiramente enganador de “O declínio do casamento e a ascensão de novas famílias”. O estudo foi baseado em dados do censo e de uma pesquisa por telefone a 2.691 pessoas, realizadas em outubro.
“O casamento continua a ser a norma para os adultos com formação superior e boa renda, no entanto, esse número cai entre as pessoas de classes sociais mais baixas”, afirma o relatório.

No entanto, a pesquisa também constatou diferenças marcantes entre as gerações. “Em 1960, dois terços (68%) de pessoas com menos de 30 anos eram casados. Em 2008, esse número era de apenas 26%”.

Tony Perkins, presidente do Family Research Council, denunciou que as interpretações das estatísticas do estudo têm sido distorcidas. “A mídia está colocando a pesquisa como um anti-casamento e uma anti-família tradicional. A diminuição de jovens que são casados é, em grande parte, porque as pessoas adiam o casamento. Apenas 5% dos americanos com menos de 30 anos não querem se casar. Mas isso não quer dizer: fim do casamento, como alguns a mídia divulga”.

A pesquisa mostrou ainda que 58% dos entrevistados discordaram da pergunta “O casamento se tornando obsoleto?”. Além disso, 67% dos americanos disseram estar “otimistas” sobre o futuro do casamento e da família.

Mais de 76% disseram que a família é o elemento mais importante da vida, 75% disseram estar “muito satisfeito” com sua vida familiar, e oito em cada dez pessoas disseram que a família que vivem hoje é tão próxima quanto a família em que eles cresceram.

O relatório observa que a resposta do público à mudança das normas conjugais e formas de família reflete uma mistura de aceitação e de inquietação. “Do lado problemático da razão, 69% dizem que a tendência de mais mulheres solteiras de ter filhos é ruim para a sociedade, e 61% dizem que uma criança precisa de uma mãe e pai para crescer feliz”.

Tony Perkins conclui afirmando que “a investigação deixa claro que maridos, esposas e seus filhos, são mais felizes, saudáveis e mais prósperos do que outras pessoas em qualquer ambiente doméstico”, finaliza.
Fonte: Christian Telegraph / Redação CPAD News