Lílian Machado e agências/Tribuna

 Em Brasília desde a última quinta-feira, o governador Jaques Wagner (PT) tem se articulado para estar mais próximo do novo governo do país. Fortalecido pela votação que obteve em primeiro turno e ainda pela forte contribuição na campanha presidencial na segunda fase do pleito, o governador tem indicado nomes ao ministério da presidente eleita Dilma Rousseff (PT).

 Nos últimos dois dias, ele se dedicou ao diálogo sobre o espaço da Bahia no governo federal e dos projetos prioritários na área da infraestrutura estadual.

 Primeiro Wagner foi recebido pelo presidente Lula na Base Aérea de Brasília, encontro que durou cerca de 40 minutos. O governador acertou com o presidente da República uma nova visita à Bahia no próximo dia 18 de dezembro. Já ontem, o governador, o senador eleito Walter Pinheiro, deputados federais e mais três integrantes do PT baiano participaram da reunião do Diretório Nacional do PT, que teve a presidente eleita como grande estrela.

 

Segundo o presidente do PT estadual, Jonas Paulo, o governador aproveitou para destacar o papel dos baianos na vitória da ex-ministra. No evento, Dilma fez um agradecimento a Wagner e aos outros governadores petistas eleitos – Agnelo Queiroz (DF), Tião Viana (AP) -, pela dedicação durante a campanha eleitoral. “Ganhamos juntos esta eleição”, afirmou.

Ao ressaltarem o “protagonismo” da Bahia na eleição, o governador e o diretório estadual devem buscar assumir um posto de maior influência na formação do novo governo. Foi o que deixou claro Jonas, ao fazer um resumo do encontro em Brasília e dos próximos passos a serem dados.

Conforme o dirigente estadual, na próxima terça-feira, o PT baiano estará presente no encontro em Brasília, entre presidentes e coordenadores da bancada federal, e os quatro senadores do partido no Nordeste. “Além das políticas ministeriais, vamos ver espaços em órgãos como o Banco do Nordeste, Ceplac, Chesf, Codevasf, entre outros. Mas não deixaremos de respeitar os aliados”, ressaltou.
 
“A Bahia está de bola cheia em Brasília, pois vale lembrar que além da vitória do governador, dos 24 deputados federais, 10 são do nosso Estado. Nenhum Estado elegeu uma bancada tão expressiva como a do PT da Bahia. Demos o maior índice de margem pra Dilma, sendo a maior frente sobre Serra no Nordeste”, justificou.

NOMES – O governador Jaques Wagner não fala abertamente sobre nomes, mas, dentro do time de baianos especulados para a Esplanada dos Ministérios já foram citados o da senadora eleita Lídice da Mata (PSB), para o Turismo, do senador César Borges (PR), para os Transportes, Juca Ferreira para a Cultura e Sérgio Gabrielli, Integração Nacional ou continuar na Petrobras. Tem ainda o deputado federal Mário Negromonte, na cota do PP, que quer manter o Ministério das Cidades.

Projetos na pauta

Wagner foi recebido pela presidente eleita Dilma Rousseff na nova residência oficial da ex-ministra, a Granja do Torto. À tarde, o governador e a presidente eleita almoçaram juntos e trataram dos projetos prioritários para a Bahia.

Segundo o governador, Dilma reafirmou seu apoio à construção da Ferrovia da Integração Oeste-Leste, que faz parte do Complexo Logístico Intermodal Porto Sul, composto por vários empreendimentos interdependentes e com modais interligados, entre eles o Porto Público de Ilhéus e o terminal de uso privativo da Bahia Mineração (Bamin).

A ferrovia formará um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto Sul, que será instalado em Ilhéus, na Ponta da Tulha, e ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no norte do país atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás.

Dilma considerou fundamental a construção do Porto Sul, pois a ferrovia sem porto perde a possibilidade de se transformar em um efetivo polo de desenvolvimento.

Além disso, o governador solicitou a atenção da presidente eleita para a necessidade de construção de novos aeroportos na Bahia, da ponte ligando Salvador a Itaparica e novos trechos de estradas. Dentre os projetos prioritários na área de infraestrutura está a construção da Arena Fonte Nova, já iniciada.

O novo estádio terá capacidade para 55 mil pessoas, podendo ser ampliada para até 60 mil, com a instalação de arquibancadas provisórias na abertura da ‘ferradura’ e de 47 camarotes com 1.330 assentos.

Dilma agradece ao PT

A presidente eleita, Dilma Rousseff, demonstrou emoção ontem e chegou a soltar lágrimas em evento “festivo” do Diretório Nacional do PT, em Brasília. Durante discurso, ao lado do governador Jaques Wagner e da cúpula do PT, ela também adotou o apelido “três porquinhos” para os coordenadores de sua campanha: José Eduardo Dutra, José Eduardo Cardozo e Antonio Palocci.

 “Nós hoje não temos o último membro dos ‘três porquinhos’, o companheiro Palocci”, disse a petista. Em seguida, demonstrando bom humor, completou: “Eu quero avisar para vocês. Eu não dei esse apelido.”

Dilma lembrou que, no início, o apelido era considerado uma crítica. Mas, ela o adotou por considerar mais “simples”. “Os ‘três porquinhos’ foram muito bem sucedidos na coordenação da minha campanha. Encontrei neles companheiros de todas as horas”, afirmou. Ela também pediu ao PT um clima político de união e compreensão depois de uma campanha dura.

Além do agradecimento especial aos “três porquinhos”, a presidente eleita elogiou o empenho de militantes e aliados durante a campanha. “Não vou falar em programa de governo porque hoje eu vim agradecer”, completou sobre o evento petista.

Dilma disse que o PT tem respeito internacional por conta da política externa do governo Lula. Esse é o primeiro discurso público de Dilma em um evento desde que iniciou a transição de governo. A reunião dos 81 membros do diretório aconteceu no centro de convenções Brasil 21.