Alan Rafael Villaverde – estadão.com.br

SÃO PAULO – O retorno de Ronaldinho Gaúcho à seleção brasileira terminou com uma derrota por 1 a 0 para a rival Argentina na tarde desta quarta-feira, em Doha, no Catar, no último amistoso do Brasil na temporada 2010.

Divulgação

Divulgação

Lionel Messi e Ronaldinho Gaúcho disputam a bola; vitória da Argentina com gol do meia do Barcelona

O resultado é o primeiro revés da seleção sob o comando do técnico Mano Menezes, que até então somava três vitórias (EUA, Irã e Ucrânia). Agora, o selecionado volta a jogar somente no dia 9 de fevereiro de 2011, contra outra força do futebol, a França.

O jogo, como esperado, foi envolto pela volta de Ronaldinho, que não jogava pela seleção desde o dia 1.º de abril de 2009, na vitória por 3 a 0 sobre o Peru, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.

O meia do Milan jogou por 73 minutos, e mostrou muita vontade, com passes rápidos pelo meio, chegando à frente para ajudar Neymar e Robinho. “É maravilhoso voltar à seleção. Todo mundo [atletas da seleção] joga rápido e isso é bom. É fácil jogar com este monte de craques”, disse o jogador, em entrevista à Globo, no intervalo do clássico.

Com Ronaldinho como titular, a seleção brasileira explorou a lateral esquerda com André Santos no começo da partida, enquanto a Argentina forçou as triangulações no meio, ainda mais com Messi, Di Maria e Pastore em campo.

O Brasil, no entanto, teve seu grande lance na primeira etapa pelo setor direito. O zagueiro David Luz deu um belo toque para Daniel Alves, que chutou forte e viu a bola bater no travessão, aos 18 minutos.

A Argentina respondeu aos 38, quando Messi chutou forte da fora da área e a bola chegou a bater na trave direita antes de sair pela linha de fundo. Antes disso, Pareja havia cabeceado a bola, aos 28, para a bela defesa de Victor, mas o lance fora invalidado por impedimento de Higuaín.

A boa movimentação no primeiro tempo não foi repetida no segundo. Brasil e Argentina optaram por truncar o jogo com faltas no meio-de-campo. Algumas boas jogadas chegaram a acontecer, mas nada que viesse a assustar os goleiros. Destaque apenas para a saída de Ronaldinho aos 28 minutos, que recebeu palmas da torcida presente, além de um afago do técnico Mano Menezes, que conta com o jogador para a sequência de seu trabalho à frente da seleção brasileira.

E, quando o empate parecia o resultado certo, o sistema de marcação da seleção brasileira se esqueceu de Lionel Messi, que recebeu a bola como quis e chutou rasteiro para vencer o goleiro Victor, aos 47, e marcar o gol da vitória da Argentina, que encerra um jejum de vitórias sobre o rival, que perdurou por cinco anos.

Brasil – 0 Victor; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luz e André Santos; Ramires (Jucilei), Lucas, Elias e Ronaldinho (Douglas); Robinho e Neymar (André). Técnico – Mano Menezes.

Argentina – 1 Romero; Zanetti, Burdisso, Pareja e Heinze; Mascherano  , Banega, Di Maria e Pastore (D’Alessandro); Messi e Higuaín (Lavezzi). Técnico – Sergio Batista.

Gols – Lionel Messi, aos 47 minutos do segundo tempo.
Público – não disponível.
Renda – não disponível.
Árbitro – Abdalá Balideh (CAT).
Local – Doha (Catar)