Pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda-feira, 25, pelo portal iG mostra a candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, com 49% das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB) figura com 38%.  Na mostra anterior, divulgada no dia 19, Dilma tinha 51% e Serra, 39%.

A diferença entre os dois candidatos passou de 12 para 11 pontos porcentuais. Os votos em branco e nulos somam 6%, mesmo índice da sondagem anterior, e os indecisos passaram a 7%, antes 4% no último levantamento.

Se levados em conta apenas os votos válidos, Dilma aparece agora com 57%, enquanto Serra tem 43% – uma diferença de 14 pontos porcentuais. De acordo com a mostra, 88% dos entrevistados disseram estar decididos sobre em quem votar.

Veja a evolução dos candidatos nas pesquisas no 2º turno:

A petista segue com sua maior vantagem no Nordeste, onde bate o tucano por 64 a 27 por cento. Já Serra vence Dilma apenas no Sul, por 47 a 39 por cento. No Sudeste, o placar é de 44 a 40 por cento a favor da candidata do PT.

Segundo Ricardo Noblat, colunista do Jornal O Globo, a pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda não trouxe muitas novidades em relação à pesquisa anterior. Para o jornalista do Jornal O Estado de S. Paulo, José Roberto de Toledo, o aumento de número de indecisos pode ser um alento para a campanha tucana.

“Se os números estiverem corretos, pode ser sinal de que a troca de chumbo entre Dilma e Serra esteja aumentando o contingente de indecisos, que, em tese, poderiam migrar para o tucano na urna. Mas uma pesquisa é insuficiente para saber se isso é uma tendência ou uma variação numérica sem significado”, opinou.

Nem Dilma nem Serra comentaram as pesquisas em suas contas no Twitter. Serra limitou-se a chamar os internautas para o debate de logo mais na Record. “@joseserra_ Às 23hs participo do debate da Record. Levo comigo a energia e muitas das ideias que recebo aqui de vocês. Muito obrigado!”.  

A pesquisa Vox Populi foi realizada entre os dias 23 e 24 de outubro e ouviu 3.000 eleitores em 214 municípios do País. A margem de erro é de 1,8 ponto porcentual para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo número 37.059/2010.

Questionamento –
O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), questionou a última pesquisa do instituto Vox Populi, divulgada no dia 19 de outubro. Para o senador, o instituto vinha errando suas previsões desde o primeiro turno. “É sem vergonha. O Vox Populi não acertou nada. Enganou os brasileiros. Procurou interferir na vontade deles. Se ficarmos calados diante de fatos como esses, quero dizer a vocês que a nossa democracia não está bem protegida”, acrescentou o dirigente.

O presidente do PSDB também não poupou de críticas o dirigente do Vox Populi, Marcos Coimbra. “A gente vai ganhar esta eleição. O Marcos Coimbra não vai eleger o presidente da República. Ele não é o povo, quem vai eleger o presidente da República é o povo brasileiro”, disse, apontando que o instituto também faz pesquisas sob encomenda para o PT.

No dia 22 de outubro, O ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatou na o pedido impetrado pela coligação “O Brasil Pode Mais”, de Serra, e concedeu o acesso a planilhas e relatórios da pesquisa Vox Populi do dia 19.

A decisão do ministro foi baseada na Resolução nº 23.190 do TSE, segundo a qual os partidos políticos podem ter acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados de empresas que divulgam pesquisas de intenção de voto.

*Com informações das agências Reuters e Estado