Do G1, em Brasília

A assessoria da Polícia Federal informou que o jornalista Amaury Ribeiro Jr. foi indiciado nesta segunda-feira (25) pelos crimes de corrupção ativa, violação de sigilo funcional, uso de documento falso e por oferecer vantagem a testemunha.

Ribeiro chegou à Superintendência da PF em Brasília por volta das 9h20. Segundo a Polícia Federal, o depoimento começou às 10h30 e só terminou às 16h30. Até as 17h55, o jornalista e o advogado dele ainda não haviam saído do prédio da PF, em Brasília.

Ao G1, por telefone, o advogado de Amaury Ribeiro Jr., Adriano Bretas, não comentou o indiciamento. Ele afirmou que deve se pronunciar sobre o caso ao deixar a Superintendência da PF.

O jornalista foi apontado pelo despachante Dirceu Rodrigues Garcia como a pessoa que teria encomendado os dados fiscais de integrantes do PSDB e de familiares do presidenciável José Serra. O acesso aos dados ocorreu entre setembro e outubro de 2009, em uma unidade fiscal da Receita Federal em Mauá, no ABC paulista.

Em depoimento à Polícia Federal em São Paulo, no último dia 7, Garcia disse que cobrou R$ 700 por cada sigilo violado. Ele afirmou que estaria disposto a fazer uma acareação com o jornalista, se fosse necessário.