do G1

O G1 fez um levantamento sobre o que os dois candidatos à Presidência da República – Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) – já disseram ou apresentaram sobre as propostas divulgadas pelo PV como condição para o apoio da legenda no segundo turno.

Neste domingo (17), o partido realiza uma convenção para definir que posição adotará: a neutralidade ou o apoio a um dos presidenciáveis.

O apoio do partido é disputado em virtude do desempenho da senadora Marina Silva (PV) no primeiro turno. Ela ficou em terceiro lugar na disputa, com quase 20 milhões de votos.

O programa apresentado pelo PV aos candidatos possui dez temas, divididos em 42 propostas. Nesta semana, Dilma e Serra enviaram cartas ao PV apresentando suas posições e compromissos sobre as propostas dos verdes.

O PSDB afirmou que há “grande convergência entre o programa de governo do partido e as propostas do PV” e especificou alguns temas. A carta de Dilma apresentou comentários sobre os temas propostos e disse que as observações refletem uma “primeira percepção da agenda” que pode ser objeto de “aprofundamentos”.

O G1 reuniu informações em reportagens sobre os candidatos, discursos, nos sites das campanhas e nos documentos protocolados pelos presidenciáveis no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apresentar suas propostas. A reportagem enviou às assessorias dos candidatos os pontos sobre os quais não foram encontrados registros específicos, mas não obteve resposta.

Veja abaixo, ponto a ponto, a posição de Dilma e de Serra.

1. TRANSPARÊNCIA E ÉTICA
O QUE MARINA PROPÕE DILMA SERRA
Não instituição de qualquer mecanismo de tutela ou controle sobre a liberdade de imprensa Afirmou que prefere “um milhão de vezes” as críticas do que “o silêncio dos calabouços da ditadura”. “Liberdade de expressão e de opinião, pra mim, é, no Brasil, não ter cadeia por delito de opinião, por manifestação política, por direito de greve, por fato que os estudantes possam fazer manifestação e passeata”, afirmou. No documento protocolado no TSE, defende que a liberdade de imprensa não seja “intimidada, pressionada pelo governo ou patrulhada por partidos e movimentos.” “Não há democracia sem liberdade de imprensa, sem liberdade de expressão e de informação. Eu, na Presidência da República, vou respeitar, até o fundo da alma, essa liberdade de expressão e de informação porque ela é a garantia da democracia”, disse.
Transparência das informações sobre execução orçamentária do governo federal disponibilizando na internet dados primários do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI), permitindo o acompanhamento da execução dos contratos e dos processos decisórios inclusive dos conselhos de governo e agências reguladoras Em carta enviada a Marina, a candidata petista diz que “as avançadas medidas de transparência de informações sobre a execução orçamentária e de contratos deverão ser aprofundadas com rapidez nos próximos anos.