O candidato a presidente José Serra (PSDB) defendeu ontem (14) a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Segundo ele, a união civil é uma questão de direito e difere do casamento, que tem componente religioso. Para o tucano, o casamento gay é uma discussão que cabe às igrejas, e não ao Estado.
 “Acho que a questão do casamento propriamente dito está ligada às igrejas. A união em torno dos direitos civis já existe, inclusive na prática no Judiciário. Eu sou a favor do efeito do direito. Outra coisa é o casamento, que tem o componente religioso. Cabe a igreja decidir sua posição”, declarou, segundo informa a Folha de S. Paulo.

Serra participou hoje de um Fórum de ONG-Aids do Estado de São Paulo na capital paulista. Durante o encontro, ele assinou um termo de compromisso para combater a doença em todo o país.

O candidato ironizou sua adversária, a petista Dilma Rousseff (PT), ao responder o que pensava da carta de compromissos que sua oponente pretende assinar com líderes religiosos em que se posiciona contra a legalização do aborto e o casamento de pessoas do mesmo sexo. “Ela tem os problemas dela. Ela diz uma coisa, depois diz outra coisa”, disse. Do Congresso em Foco