A Tarde

Os três principais aspirantes ao Governo da Bahia votaram logo no início da manhã deste domingo, 3, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Primeiro entre os governadoráveis a execer o voto neste domingo, Paulo Souto, candidato pela coligação “A Bahia Merece Mais” (DEM/PSDB) chegou por volta das 9h ao Colégio Estadual Pedro Calmon, no bairro de Armação, em Salvador. Acompanhado por José Carlos Aleluia (DEM) e ACM Neto (DEM), respectivamente candidatos a Senador e Deputado Federal, o ex-governador abriu mão da prioridade e enfrentou cerca de 40 minutos de fila.

Souto disse estar “confiante” e “esperançoso”, mas afirmou que não irá se pronunciar antes do resultado das urnas. Em entrevista aos jornalistas que o esperaram na saída, o ex-governador afirmou ter feito uma campanha verdadeira para a população baiana e que se mostrava satisfeito por ter cumprido sua obrigação.“Eu cumpri os meus deveres para a Bahia, fiz uma campanha mostrando os grandes problemas que o estado está vivendo e foi uma campanha baseada na verdade. Agora temos aguardar o resultado das eleições, encarar esse resultado com naturalidade. Vamos  torcer para que tudo de bom aconteça para a Bahia”, afirmou. Do bairro de Armação, o candidato seguiu para o campus da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no bairro do Canela, onde ACM Neto votou por volta das 11h.

Geddel Vieria Lima, por sua vez, candidato ao Governo da Bahia pela coligação “A Bahia Tem Pressa”, chegou ao Colégio Antônio Vieira, no bairro do Garcia, por volta das 10h, com a esposa, Alessandra Vieira Lima e os filhos Julianna e Geddel Filho.

“Estou otimista por tudo que vi no interior e todas as manifestações na capital”, disse Geddel, ao comentar suas expectativas quanto ao 2º turno. “O povo é soberano seja qual for o resultado. É evidente que todos que prezam a democracia vão se curvar a ele [o resultado] e aplaudir”, destacou, afirmando que cabe à oposição tecer críticas ao governo. “Quem ganha governa, quem perde faz oposição”, frisou.

Também acompanharam Geddel o candidato ao Senado, Edvaldo Brito (PTB) e o presidente do PMDB baiano, Lúcio Vieria Lima, além do candidato a Deputado Federal, Marcelo Guimarães Filho (PMDB).

Já o governador Jaques Wagner (PT) votou por volta das 10h30 deste domingo, 3, na Escola Municipal Professora Lídia Coelho Pinto, em Arembepe, distrito de Camaçari. Muitos políticos e lideranças petistas acompanharam o candidato à reeleição, como o ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, além dos candidatos ao Senado, Walter Pinheiro (PT) e Lídice da Mata (PSB), o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano e a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho.

Depois de votar, Wagner voltou a ressaltar as ações realizadas em sua gestão, classificando estas eleições como “diferenciadas”. O governador também se referiu à candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, ao destacar sua expectativa na eleição da primeira mulher ao Palácio do Planalto.

Onda verde – Por volta das 12h, o candidato do Partido Verde ao Governo da Bahia, Luiz Bassuma, também abriu mão do privilégio de acesso livre e enfrentou fila no Colégio Estadual Raphael Serravalle, no bairro da Pituba, em Salvador. Acompanhado da esposa e candidata a deputada federal Rose Bassuma e também por sua candidata a vice, Lília Amorim, Bassuma afirmou estar otimista com a “onda verde”.

“Marina está com certeza absoluta no segundo turno, não tenho dúvidas. Os sinais da onda verde ficam mais evidentes na reta final da campanha”, enfatizou. Confiante, Bassuma também afirmou que busca os votos dos 15% de eleitores indecisos.