DAIENE CARDOSO – Agência Estado

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, afirmou hoje que o debate de ontem na Rede Globo entre os presidenciáveis foi morno porque Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) evitaram o confronto. “O debate foi importante, mas a atitude dos principais candidatos em não quererem perguntar fez com que o debate ficasse frio e morno”, avaliou. “Uma coisa interessante é que no primeiro debate havia uma ansiedade muito grande de Dilma e Serra se confrontarem.”

A candidata observou que Serra mudou de atitude em relação a ela. “O Serra mudou, ele me elogiava bastante antes, mas eu acho que ele ficou um pouco irritado em função da pergunta sobre o Renda Mínima”, disse. Ela se considera a única em condição de vencer a favorita Dilma Rousseff. “Eu sou o segundo turno viável. Eu sou a que tem efetivamente condição de disputar com a Dilma. O Serra seria a repetição de 2006.”

 

Marina disse que conta com a “sabedoria” do eleitor para chegar ao segundo turno contra Dilma. “Há uma tendência de que o feminino pode ocupar a Presidência da República. O povo brasileiro saberá fazer justiça para que as duas mulheres, com tempo igual, possam debater (no segundo turno)”, afirmou a candidata, durante caminhada pelo Viaduto do Chá, no centro de São Paulo.

Acompanhada por militantes do PV e debaixo de chuva, a candidata pretendia percorrer as ruas do centro da capital paulista, mas o mau tempo e o tumulto dos militantes impediram o cumprimento integral da agenda.

Segundo turno

Marina se disse confiante na chegada ao segundo turno. “Estamos no segundo turno. O que as pesquisas estão mostrando é muito menor do que o que estamos vendo nas ruas”, disse. Segundo a candidata, com tempo igual de propaganda de TV será possível aprofundar o debate de temas que não foram discutidos no primeiro turno. “Quem tinha tempo de televisão não tinha programa de governo e quem tinha programa de governo não tinha tempo de televisão. Agora vamos com tempo igual.”

Para Marina, a sociedade não decidirá o futuro do País açodadamente porque é sábia. “O povo tem a sua sabedoria, tem noção de justiça e equilíbrio”, afirmou. “No dia 3 de outubro, o Brasil terá uma grande surpresa: duas mulheres no segundo turno”, previu.