G1

Subiu para 11 o número de presos na Operação Consórcio, na manhã desta quarta-feira (22),  em ação conjunta da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, com as polícias Civil e Militar, e com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecco) do Ministério Público no Rio de Janeiro.  Segundo a polícia, a quadrilha é formada por jovens de classe média alta.

A operação é realizada em Niterói, na Região Metropolitana, em Búzios, na Região do Lagos e em Laje do Muriaé, Norte Fluminense, onde 80 agentes cumprem 17 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão. O objetivo é reprimir o tráfico de drogas nesses municípios. Outros seis suspeitos ainda são procurados. As informações são da Secretaria de Segurança.

Um dos principais integrantes da quadrilha foi encontrado em um prédio em Niterói. De acordo com o delegado Marcus Castro Nunes Maia, titular da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), outro suspeito foi preso em uma mansão em Búzios, cidade onde ocorreu a prisão de mais dois suspeitos. A quadrilha montava um esquema de compra e venda de drogas em boates e festas. Alguns DJs que tocavam nos eventos têm mandados de prisão expedidos, informou a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança.

A operação conta com o apoio de um helicóptero da Polícia Civil e com cães farejadores. Uma outra equipe da Subsecretaria de Inteligência está em São Paulo para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão no estado.

A investigação durou quatro meses e contou com a colaboração dos setores de inteligência das polícias Civil nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A Operação Consórcio ainda está em andamento.