CORREIO

Foi preso na noite desta quinta-feira (16) em Itinga Edson Barbosa dos Santos, 19 anos, o Edi, que tinha um mandado de prisão em aberto pelos homicídio de Leila Santarosa Santos, 22 anos, usuária de drogas, e do seu padrinho, o eletricista Raimundo Capinan Sanches, 57. Edi é primo do traficante baiano Aladim, que foi encontrado morto na Penitenciária Federal de Catanduva em maio

Os crimes
Edi matou Leila em 22 de maio. Ele a atraiu com a ajuda de seu comparsa Mateus Silva Pinto, o Pisca, para uma casa abandonada, sob o pretexto de que usariam drogas juntos. Lá, os dois estupraram e assassinaram Leila a pauladas, arrastando o corpo depois até um matagal, onde o abandonaram. O motivo do crime foi uma dívida de R$ 180.

A dupla de homicidas se escondeu por dois meses em Simões Filho, fugindo da polícia, e depois voltaram para Salvador em julho para tentarem arrumar dinheiro. “Edi propôs a Pisca que assaltassem a casa dos seus padrinhos, no Loteamento Jardim Tarumã, em Itinga”, diz o delegado Jacinto Alberto Correia da Silva, titular da 27ª Delegacia, responsável pelas investigações.

Em 10 de julho, quando os padrinhos – que o criaram – não estavam em casa, Edi invadiu a casa com seu comparsa e depois de reunirem os objetos que pretendiam roubar foram surpreendidos pela volta do casal. Raimundo e sua esposa, Rosilene Santana, 47, voltavam da igreja quando foram atacados pelos ladrões.

O eletricista foi esfaqueado na axila direita, no rosto e no pescoço. Sua esposa conseguiu fugir pulando do primeiro andar sobre o telhado de uma casa vizinha. Os dois ladrões fugiram sem levar nada.

Edi está preso à disposição da Justiça para cumprir o mandado de prisão temporária. O delegado pretende pedir à Justiça a prisão temproária. Mateus Souza Pinto, o cúmplice, ainda está sendo procurado pela polícia.