WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ebook gestao financeira


setembro 2010
D S T Q Q S S
« ago   out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  


Posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr sobre as eleições 2010


17 respostas para “Posicionamento do Pr. Paschoal Piragine Jr sobre as eleições 2010”

  • Arquimedici disse:

    Estou com vc, Pastor Paschoal… isso que você disse esta na internet para quem quiser ver, e ler, o PT REALMENTE APOIA O ABORTO.!!!! estamos com vc.

  • Carlos Robereto disse:

    Ipatinga, 13 de setembro de 2010

    Prezado Pr. Paschoal Piragine
    Saudações em Cristo,

    “Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo” – I Coríntios 1:11

    Uma das expressões do Apóstolo Paulo que sempre me incomodaram foi sua afirmação enfática e repetida para que o imitássemos. Não tenho dificuldade nenhuma em afirmar que aqui, em não cumprindo esta orientação, o cristianismo se perdeu por completo.

    O Evangelho perdeu mesmo o primeiro lugar como objetivo da igreja, o negócio, devido à baixa qualidade de vida espiritual de nossa gente e da total falta de testemunho cristão daqueles que se declaram evangélicos, as lideranças resolveram investir em outra área que está mais rentável para a exposição da igreja e para a propaganda denominacionais.

    Confesso que fiquei de bobeira, estarrecido e perplexo ao ver o irmão fazendo a sua condenação do “PT” e por persuasão e por indução, inflamando o povo a votar contra candidatos deste partido. Lógico, pelo que ficou nas entrelinhas o irmão estimula os evangélicos a votarem em evangélicos, uma vergonha, uma falta do que fazer. Uma prática deplorável. Pior, como um homem que afirma conhecer a Bíblia com trinta anos de ministério, T R I N T A, o irmão ainda comete um erro infantil, primário e que mostra até onde nós evangélicos estamos reféns de homens sem compromisso com as Escrituras e com a cruz. O pastor, em dado momento do seu acalorado discurso em defesa da sua fé – não a minha, claro – TRATA ABERTAMENTE O CATOLICISMO COMO IGREJA, algo inadmissível, impensável e deprimente para quem verdadeiramente tem compromisso com Deus e com a sua causa.

    Eu, como crente em Jesus Cristo, lamento que o irmão esteja usando a influência e o púlpito de sua igreja – sua mesmo, pois se fosse a NOIVA DO CORDEIRO seria tratada de maneira diferente e não estaria metida nestas confusões – para demagogicamente fazer política partidária. As lágrimas me vieram aos olhos quando vi com meus próprios olhos o senhor fazendo as suas declarações naquele humilhante vídeo. Sei que vivemos uma situação perigosa no País, mas a culpa é dos evangélicos que abandonaram o cristianismo – não são cristãos – e se filiaram a uma onda religiosa que anda de largo daquilo que regem as Escrituras.

    Lamentavelmente os evangélicos – não os cristãos – estão buscando na podridão da política uma desculpa para pregarem o pobre e desmoralizado evangelho do século XXI. Assim, diante da inércia da igreja, da mediocridade espiritual dos evangélicos, do descaso de nossas lideranças, as coisas descambaram de vez a ponto de pastores fazer o que o irmão fez e está fazendo.

    Esta democracia religiosa é uma ameaça velada, pois permite que atitudes sejam tomadas â mercê de uma consulta prévia ao povo que se declara cristão pelo Brasil afora. Eu em particular fui surpreendido com o que vi e pensei que fosse apenas uma brincadeira de mau gosto, uma pegadinha. Mas não foi!!!

    Com a desculpa satânica, esfarrapada e pífia de participarem ativamente do momento político defendendo questões importantes para o Brasil a crentada resolveu baixar de vez no chiqueiro político e ai vale tudo uma vez que o Evangelho que pregam não consegue mais transformar nada. O rosário de “EVANGÉLICOS” – não são cristãos – que estão na disputa é algo assustador, assombroso e vergonhoso.

    Perdoe-me pastor Paschoal Piragine, mas iniqüidade é fazer o que o irmão e outros milhares estão fazendo, desviando o alvo da pregação para fins políticos partidários e eleitoreiros. Quem sabe se o irmão ORIENTASSE, ESTIMULASSE e COBRASSE de seus membros e dos evangélicos do Brasil uma postura de fiscal de seu voto, nós não precisássemos transformar o púlpito em palanque?

    Iniqüidade é perverter a mensagem, é de maneira sutil, pressionar as pessoas a fazerem algo que elas não querem, é induzir as pessoas ao erro e a agirem sem pensar. Isto sim é iniqüidade e das grandes. É perversidade. Iniqüidade maior ainda é chamar o catolicismo de igreja meu irmão. Põe iniqüidade nisto. Qual é o conceito de igreja para o irmão? Será que esta matéria não foi estudada no seminário? Ou será conveniência tratar o catolicismo como “NOIVA DO CORDEIRO”?

    Me desculpe, mas não deu para digerir o que o irmão falou. Creio que se falta alguma coisa nesta exortação, esta coisa é Deus. Posso afirmar que o irmão agiu por impulso e por interesses, não por causa da fé que prega ou defende. Confesso que estou chocado. Não sou petista e não tenho nenhuma ligação com qualquer partido, para mim e para os meus conceitos de vida cristã, política não é lugar de crente em Jesus Cristo. Pode ser de “EVANGÉLICO”, isto eu não discuto, pois que o pobre evangelho perdeu-se no emaranhado de relações entre a igreja e o mundo. Um cristão sincero, honesto, correto, integro e regenerado pelo sangue de Jesus, jamais se envolve com este mar de lamas que é a política. Se de fato ele é alguém com intimidade com Deus, ele vai saber usar o voto – instrumento dado a ele por Deus – para escolher, cobrar e acompanhar aqueles que ele escolheu para representá-lo nas várias esferas da vida política do Brasil. Se ele fizer isto com sinceridade e com a intenção de fiscalizar com certeza as coisas não chegariam até onde chegou.

    Meu caro Pr. Piragine ainda há tempo do irmão se redimir da besteira que fez, há tempo de regravar outro vídeo orientando os evangélicos a exercerem o direito e o dever de cobrarem dos políticos SEM PRECISAREM SER UM DELES. Paulo orientou-nos a imitá-lo e pelo que sei, ele Paulo, não se envolveu com as questões políticas de sua época, para ele o Evangelho era prioridade numero um. Pela sua origem, pela sua formação, pela sua convicção ele poderia ter se metido com a desgraça da política, mas se ele assim tivesse agido o Evangelho não teria chegado até nós.

    Se continuarmos nesta onda de politicagem dentro de nossas igrejas, com absoluta certeza o Evangelho não irá chegar às próximas gerações, no máximo irão conhecer a história de um povo que tropeçou e foi abatido ao longo da caminhada.

    Sede meus imitadores como eu sou de Cristo é a declaração daqueles que amam a Cristo, que seguem no caminho do discipulado, que não se interessam por nenhuma outra coisa que não seja Cristo e sua perfeita humanidade, que não desejam nada a não ser a comunhão com sua vida, sofrimento, alegria e glória. Ela é uma declaração que os evangélicos que se envolvem com o mundo cão da política não podem fazer de forma alguma.

    Pr. Paschoal, a minha oração é para que Deus mude a cabeça do irmão e que a preocupação seja de fato anunciar as Boas Novas, na pregação de um Evangelho verdadeiro, longe das siglas e dos partidos políticos. Que Deus o abençoe. Por favor, medite no Salmos 1, ele vai ajudá-lo.

    Fraternalmente em Cristo,

    Carlos Roberto Martins de Souza

  • Fabrício Luz disse:

    Entendo como legítima e coerente a manifestação do Pastor Presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba, tanto como cidadão quanto como líder cristão. Como cidadão a ele é permitida a livre manifestação de pensamento, conforme o artigo 5º, IV da Constituição Federal. Não é porque ele manifestou uma opinião contrária às diretrizes do partido governista que a Constituição não vale (pelo menos por enquanto). Já como líder cristão a legitimidade do prestigiado e querido Pastor Pascoal Piragine Jr é ainda mais evidente. Não consigo ver nenhuma coerência naqueles que o criticam. Ora, o que há de errado em um Pastor Batista recomendar que não se eleve ao poder de legislar aqueles candidatos que pertencem a um partido cuja nítida orientação é de defesa das causas abortista e liberal homossexual ? Alguns mais empolgados sugeriram que o fato de ser notória a propensão petista em contemplar as causas em questão “não obrigaria” os deputados a votar favoravelmente a elas. Não é o que dizem os fatos. A punição dos deputados federais Luiz Bassuma (BA) e Henrique Afonso (AC) a pretexto de terem ferido o “código de ética” do PT ao assumirem uma clara posição anti-aborto significou, na prática, que os deputados foram obrigados a sair do PT para que pudessem disputar a próxima eleição. Foi uma expulsão velada que expôs as entranhas do pensamento radical esquerdista do PT. O que realmente é de surpreender é a reação de algumas pessoas que se dizem cristãs e batistas. Tive acesso na Internet, por exemplo, a “respostas” de alguns que se identificaram como pastores da fé reformada, reprovando o posicionamento do Pastor Presidente da PIB Curitiba. Uns com toda polidez e respeito, outros nem tanto. Estes últimos usaram argumentos tão “consistentes” como: “ isso é coisa de tucanos neo-liberais ” ou (pasmem) “temos que orar pelos governantes e não tentar mudá-los”. Em suma: ou protegem o petismo tratando sua causa pró-aborto como um assunto menor e irrelevante; ou defendem uma anti-bíblica neutralidade (não deveríamos votar então, certo?). É conveniente e cômodo repousar no berço esplêndido da neutralidade . Corajoso e arriscado é defender o Evangelho mesmo à custa de expor-se à críticas atrozes. Mas é o que se espera de um verdadeiro ministro do Evangelho. Qualidade inegável do Pastor Piragine.

  • Wilson Ramiro disse:

    Caro amigo petista Carlos Roberto.

    O pastor Paschoal Piragine Jr terá que prestar contas de todos os seus atos a Deus, não a mim nem a você, e embora a minha opinião seja apenas minha, creio que ele “ajuntou um tesouro no céu”.
    Que Deus abençoe o pastor por sua coragem e sabedoria.

  • Francisco D oliveira disse:

    Wilson Ramiro, e Carlos Roberto,
    apnas tirem esta venda dos seus olhos
    e entendam, saõ realmnte os últimos dias, mas nem por isso devemos nos aliar aos “anti-cristos” lembrem-se de ler um pouco mais a bíblia. e orar antes de criticar um Homem “sal”

  • Silvana Trindade disse:

    Caro Pastor Paschool Piragine Jr parabéns pelo depoimento sinto-me muito grata a Deus por ter pessoal com o Sr.. Vamos continuar orando e lutando contra estas situações.

    Att, Silvana

  • Vanessa Moises Furtado disse:

    Parabéns Pastor por sua colocação Politica, Humana.
    Sou católica e enviei o seu video para o Padre do Santuario da \NOssa Senhora do Perpetuo Socorro, quero saber se ele vai fazer o mesmo independe de religião as leis , as mudanças na Constituição brasileira vale para todos.
    Solicito que 0 colega,
    Carlos Robereto vai estudar um pouquinho sobre constituição federal, codigo Penal,OS Estatutos, enfim …
    ( Carlos rebereto vc é um sem noção, não percebe que independente de religião todos nos vamos sofrer as consequencias, ou vc esta lendo tanto a biblia em casa e esquecendo de pedir o auxilio dos outros amigos .

  • Marcos disse:

    Louvo a Deus pela vida de pessoas como o Pr. Paschoal…..

  • helena souza disse:

    É lamentável a forma partidaria que o pastor se posiciona. Na minha opinião ele tem que dar os nomes dos políticos que votaram em leis que ferem os princípios da sagradas escrituras. Pelo que sei, tem muitos outros candidatos de outros partidos políticos que votaram a favor do aborto…e tem a mesma posição de candidatos do PT. Como é o caso do candidato a senador Aluisio e o governador Serra. Eles defendem suas posições como questão de saúde publica!
    Seria muito bom que o pastor procurasse informações e esclarecimentos, para não cometer injustiça e fazer da sua posição de liderança, “manipulador de pessoas”.
    Se o pastor está tão preocupado, o que é correto. Sugiro que ele faça uma investigação, um levantamento de todos os canditados de todos os partidos que estão trabalhando, e tem suas posições com fundamentos e base na iniquidade, mas com transparencia, imparcialidade e sem partidarismo, e informe ao seu rebanho.
    Em uma postura assim acredito! Tenho certeza que esta pesquisa e levantamento, será de muita valia para os evangélicos que ultimamente estão sendo massa de manobra dos pastores e lideres de suas igrejas. As igrejas estão se tornando currais eleitorais.
    Deus tenha misericoridia!

  • a. helena disse:

    Paranenizo ao Pr. Piragine pelo exemplo de coragem, ao alertar os cristãos sobre o que ocorre na política atual. Não podemos nos conformar com este mundo e precisamos tomar posição dizendo não ao pecado. Não vamos votar em DILMA.O Brasil precisa de um presidente melhor. Não entendo como alguns pastores ainda o criticam e defendem um partido que apoia o pecado.

  • a. helena disse:

    Paranenizo ao Pr. Piragine pelo exemplo de coragem, ao alertar os cristãos sobre o que ocorre na política atual. Não podemos nos conformar com este mundo e precisamos tomar posição dizendo não ao pecado. Não vamos votar em DILMA.O Brasil precisa de um presidente melhor. Não entendo como alguns pastores ainda o criticam e defendem um partido que apoia o pecado. ao contrário do que disse o Sr.Carlos Roberto, imitar a Cristo, é ser contra o aborto e as demais atrocidades que querem impor ao povo brasileiro. Precisamos nos unir para combater o pecado e se temos conhecimento do que está por vir, pecamos, se votamos a favor de tais práticas pecaminosas. Precisamos orar para que o Brasil conheça a VERDADE.

  • Claudio disse:

    Quero dizer que também concordo totalmente com o pastor Pascoal pelo seu corajoso discurso. Seria bom que outras pessoas influentes, como: pastores, padres, líderes comunitários, professores, etc também se levantassem para alertar e conscientizar seus grupos para não votarem em candidatos que estão comprometidos com o Lula, Dilma, Zé Dirceu, José Genuíno e outros guerrilheiros, ateus, invasores de terras produtivas e descompromissados com o futuro do nosso país. Afinal, os cristãos deveriam se unir! A situação é urgente e não há lugar para rótulos denominacionais! Afinal, os católicos e evangélicos são a esmagadora maioria no nosso país e não é justo que uma insignificante minoria queira se levantar para afrontar um povo que quer unicamente viver em paz. Recomendo aos interessados que também entrem no youtube e assistam os três vídeo do padre Paulo Ricardo em seu corajoso sermão. É lamentável que algumas pessoas totalmente desinformadas se levantem para simplesmente criticar sem saber o que estão fazendo

  • João Vilela disse:

    A questão meus caros é saber: Piragine tem razão, ou não?
    Por partes:
    PL 122 existe? Sim. Já foi aprovado na Câmara Federal e está no Senado. Por ele, um pastor (ou qualquer pessoa) que se posicionar contra a troca de afeto em local público por um casal de homossexual poderá levar de 2 a 5 anos de cadeia. (Quem duvidar é só baixar a lei no site do Senado)
    Os deputados foram expulsos porque se posicionaram contra o aborto? Sim. Luiz Bassuma do Acre e Henrique Afonso, foram expulsos porque se opuseram ao fechamento de questão do partido que aconteceu no 3° Encontro Nacional de 2007.
    Infantícidio? O PNDH fala sobre a preservação dos modos e costumes dos povos indígenas (defender a cultura, língua, modo de vestir…etc), tudo bem, mas a morte de crianças? É só ler o que vai na página 88.
    Tem muito mais. Mas em resumo: Piragine está certo. Tudo que disse pode ser comprovado facilmente.
    Parabéns Pastor e que Deus lhe acompanhe irmão e o inimigo não nos cegue.

  • Cintia disse:

    Parabéns pastor Piragine pela sua coragem!!!!!!
    Não nega o seu Deus e seus princípios e não se junta a ateus convíctos para se promover e ganhar votos. Cada vez o admiro mais, verdadeiro PASTOR de almas, realmente comprometido com seu rebanho e com as causas de Deus!!!

  • andré hall disse:

    Alerta aos Pastores:

    Justiça Eleitoral aperta o cerco contra candidatos que usam estrutura de igrejas como curral eleitoral.

    “Vote no meu candidato em nome de Jesus”. O pedido dos pastores e dirigentes de agremiações evangélicas pode render multas e até cassação de direitos políticos. Os pastores não poderão pedir votos durante os cultos, nem apresentar seus candidatos, revelando suas preferências, ou tentar impor aos fiéis as siglas que devem votar.

    A propaganda eleitoral no interior das igrejas é expressamente proibida pela legislação eleitoral. A recomendação para que a veiculação de propaganda nos templos seja suspensa imediatamente foi expedida pelo Ministério Público Eleitoral, que apesar de não confirmar, já conta com fiscais dentro das igrejas do Acre.

    O MPE investiga denúncias de que os pastores estão usando os cultos para pedir votos para diversos candidatos, além de vender o apoio das igrejas em favor de candidaturas radicadas em várias legendas partidárias. O voto pedido em nome do criador ganhou significativa fatia no meio político, com candidatos explorando os fiéis para alcançar triunfos eleitorais.

    O Grande número de candidatos ligados ao meio religioso demonstra que a fé se tornou um dos meios mais prováveis, para pessoas alcançarem um mandato eletivo. Com esta mesma visão os juízes e procuradores eleitorais no Acre, resolveram voltar suas atenções para esta parte do eleitorado, que vem sendo usadas, em pelo menos três pleitos consecutivos.

    Apesar dos pastores afirmarem desconhecer as práticas de campanha nas igrejas, no interior e arredor dos templos, a propaganda eleitoral está proibida, podendo a multa chegar a R$ 25 mil, em caso de descumprimento da recomendação do MPE. Segundo alguns dirigentes, os pastores não misturam religião e política, deixando os fiéis livres para exercer o direto do voto.

    Alguns fiéis, apesar de não manifestarem publicamente suas opiniões, vêem como repugnante o comportamento dos pastores e dirigentes quem utilizam a fé das pessoas como instrumento de captação de votos. Já outra parte menos conservadora, declara que as igrejas precisam participar e eleger representantes, para que aberrações de alguns projetos considerados nocivos aos movimentos religiosos, não sejam aprovados sem a participação das agremiações religiosas.

    O fato é que até mesmo os frequentadores de missas e cultos, estão fazendo sérias denúncias, quanto ao uso da estrutura das igrejas em favor de candidatos, desvirtuando os princípios das manifestações religiosas, que visam à aproximação das pessoas dos princípios contidos nos livros religiosos, adotados pelas igrejas. A maioria das denúncias parte de pessoas que buscam a palavra de Deus, no entanto, são obrigadas a presenciar verdadeiros comícios, por parte de pastores e candidatos.

    Os pedidos de votos feitos no interior de igrejas sujeitam seus autores a multas que vão de R$ 2 mil a R$ 25 mil. A propaganda eleitoral no interior das igrejas é expressamente proibida, pois os templos constituem bens de uso comum, sendo neles vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza (art. 37 da Lei 9.504/97).

    Convênio entre entidades garantirá fiscalização das igrejas

    O Ministério Público Eleitoral do Acre montou toda uma estrutura que garantirá a fiscalização aprofundada das denúncias de uso das igrejas, para favorecer candidatos, ou coligações políticas, mesmo que alguns membros dos movimentos religiosos disputem vagas eletivas nas eleições 2010.

    O Procurador Regional Eleitoral, Fernando Piazenski, informou que um convênio entre a Polícia Federal, Tribunal Regional Eleitoral e Ministério Público Eleitoral, possibilitou a montagem de uma estrutura, com dois delegados que investigarão todas as denúncias de uso das igrejas, para direcionar os votos dos fiéis.

    “Vamos garantir a lisura do processo eleitoral. Todos os ambientes que constituem bens de uso comum serão fiscalizados. As igrejas estão inclusas dentro desta proposta, que visa coibir o direcionamento da vontade do eleitor”, destacou Piazenski.

    Indagado se já havia pessoas exercendo a fiscalização dentro das igrejas, o procurador respondeu com uma incógnita; “não vou dizer nem que sim, nem que não, mas em outros centros e Estados próximo ao Acre, já são disponibilizados agentes que fazem este tipo de fiscalização”.

    Os juízes e procuradores unificaram o discurso, endurecendo as investigações e usando todas as proibições da Lei eleitoral, para coibir, principalmente o uso das instituições públicas e movimentos religiosos como forma de captar votos a determinados candidatos e coligações partidárias. Fernando Piazenski enfatizou que se existir qualquer tipo de denúncia, vai haver a verificação e punição dos envolvidos.

    Denúncias – Os fatos considerados lesivos envolvendo irregularidades durante a campanha podem ser denunciados por uma linha telefônica disponibilizada pela Justiça Eleitoral, para uso exclusivo de denuncias que envolva a compra de votos e abuso do poder econômico. Disque-Denúncia Eleitoral 0800-642-2226. A Justiça Eleitoral garante o sigilo e anonimato dos denunciantes. Paz e graça

  • João Vilela disse:

    Olá, boa tarde !!

    vejam esse vídeo no youtube:
    http://www.youtube.com/watch?v=R-pZXnF6aDU

    Ele faz uma defesa consistente dos assuntos abordados pelo Pastor Paschoal Piragine Jr

    A paz de Deus irmãos

  • Andre disse:

    Nao sou evangelico,

    Mas deixo aqui os parabéns ao Pastor Paschoal Piragine pela coragem de se posicionar firmemente em torno de uma questao tao importante de ordem nacional, de ordem moral, de ordem religiosa, de ordem “da vida”.
    Independente de qualquer religiao, todos “nós”, os cidadão de bem possuidores de consciencia moral, devemos nos manifestar com relação à esse absurdo chamado PNDH3, que de humano na verdade não tem absolutamente nada.
    Fere os principios da moralidade, bons costumes e sobretudo “A Vida”.
    Abraço a todos

Deixe seu comentário



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia