Globo Amazônia

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou nesta terça-feira (31) que detectou 485,1 km² de desmatamento na Amazônia Legal em julho. Com o dado do último mês foi fechado o “calendário do desmatamento”, que vai de agosto de um ano a julho do ano seguinte. Os números apontam queda da devastação na região.
Nos 12 meses, de agosto de 2009 a julho de 2010, os alertas de desmatamento registrados pelo sistema Deter (Detecção de Desmatamento em Tempo Real) corresponderam a 2.295,87 km². No período anterior, de agosto de 2008 a julho de 2009, o Deter havia apontado 4.375,15 km² de destruição. A diferença entre os números é de 47,5%.

 

 

Foto: Reprodução

Mapa do Inpe mostra os pontos de desmatamento detectados em julho. (Foto: Reprodução)

Desmatamento em julho por estado
Acre 4,5 km²
Amazonas 46,9 km²
Maranhão 22,0 km²
Mato Grosso 102,2 km²
Pará 237,9 km²
Rondônia 70,0 km²
Tocantins 1,6 km²
Total 485,1 km²

 

Deixe seu comentário ao final do texto

O Inpe ressalta, no entanto, que em função da cobertura de nuvens variável de um mês para outro e, também, da resolução das imagens geradas pelos satélites, os dados do Deter não representam uma avaliação exata do desmatamento mensal da floresta amazônica.

O sistema é voltado para alertar os órgãos de fiscalização. O instituto, portanto, não recomenda a comparação entre dados de diferentes meses e anos.

Para registrar a taxa anual de desmatamento o Inpe tem o sistema Prodes, que usa imagems de melhor resolução, que possibilitam enxergar os pequenos focos de destruição. A estimativa anual do Prodes será divulgada no final deste ano para o período de agosto de 2009 a julho de 2010, informa o Inpe.

Os resultados do Deter não são proporcionais ao do Prodes, em especial nos últimos anos, quando se proliferaram os pequenos focos de desmatamento.