do Terra | Rede Globo

Falha no trem de pouso pode ser causado o acidente. A própria companhia está investigando o incidente

 

A aposentada Railda Góes, 66 anos, era uma das 27 pessoas à bordo do avião da empresa Passaredo (modelo ERJ 145, da Embraer) que saiu de Guarulhos, São Paulo, em direção a Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, e fez um pouso forçado por volta das 14h desta quarta-feira, no aeroporto Pedro Otacílio de Figueiredo, na cidade baiana.

 Segundo ela, o pânico tomou conta dos passageiros porque algumas pessoas gritavam que o avião estava pegando fogo. A idosa saiu da capital paulista com a filha, Viviane Góes. Assim como os demais passageiros, elas não tiveram ferimentos graves. Apenas duas pessoas tiveram escoriações leves e foram atendidas por ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O trem de pouso da aeronave, com capacidade para 50 pessoas, não abriu forçando a aterrissagem de barriga. Com o impacto no chão, uma das turbinas chegou a pegar fogo, mas o incêndio foi controlado. Por conta do acidente, a pista foi interditada.

Em nota, a Passaredo informou que está prestando assistência a todos os passageiros e já enviou técnicos ao local para averiguações.