do Estadão

Levantamento que indica 41% para petista e 33% para tucano é o 1º divulgado após debates na TV.

A candidata petista à Presidência Dilma Rousseff tem 41% das intenções de voto e vantagem de oito pontos porcentuais sobre o tucano José Serra, segundo pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira pela TV Globo.

Em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito há três semanas, Dilma subiu cinco pontos, e Serra caiu quatro. A candidata do PV, Marina Silva, permaneceu com o mesmo índice, de 10%.

A pesquisa foi a primeira a ser divulgada depois de dois eventos televisivos que colocaram os presidenciáveis sob os holofotes: o debate na Band, no último dia 6, e as entrevistas com Dilma, Marina e Serra no Jornal Nacional, da TV Globo, nos dias 9, 10 e 11, respectivamente.

O Datafolha fez as entrevistas para a pesquisa entre os dias 9 e 12 – ou seja, no universo do levantamento, a performance de Dilma no Jornal Nacional foi assistida por uma parcela maior de eleitores, em comparação a Serra.

Geografia do voto A candidata do PT melhorou sua situação em todas as regiões do País. No Sudeste, onde perdia por 40% a 33%, ela subiu quatro pontos e empatou tecnicamente com Serra, que caiu cinco pontos. No Norte/Centro-Oeste, a diferença pró-Dilma passou de 7 para 10 pontos. No Sul, única região em que Serra ainda é líder isolado, sua vantagem caiu pela metade, de 13 para 7 pontos (41% a 34%).

Mas foi no Nordeste que se deu a maior transformação. Em três semanas, a vantagem da petista dobrou, passando de 12 para 24 pontos (49% a 25%).

Na pesquisa espontânea – modalidade em que os eleitores manifestam sua intenção de voto antes de ler os nomes dos candidatos – a vantagem da candidata do PT chega a 10 pontos. Ela tinha 21% em julho e subiu para 26%. Seu principal adversário manteve o índice de 16%. Em um eventual segundo turno entre o PT e o PSDB, a ex-ministra da Casa Civil venceria por 49% a 41%.

Antecedentes Segundo o Datafolha, é a primeira vez que a petista fica à frente do tucano desde o início da campanha eleitoral – em junho e julho, eles apareciam empatados, tanto no primeiro como no segundo turno, na chamada pesquisa estimulada – na qual os entrevistados consultam uma lista com os nomes dos nove candidatos à Presidência da República.

Outros institutos, como o Ibope, o Vox Populi e o Sensus, já haviam mostrado Dilma na frente. A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo concluída no último dia 5, por exemplo, revelou que a candidata tinha cinco pontos a mais que o tucano (39% a 34%).   Já a Sensus, finalizada em 2 de agosto, mostrou uma diferença de dez pontos (41,6% contra 31,6%). Segundo a última pesq Vox Populi, a petista tem 41%, contra 33% de Serra.

De acordo com o Datafolha, não houve alterações significativas no índice de rejeição aos dois principais candidatos. No caso de Serra, 28% dos eleitores afirmam que não votaria nele de jeito nenhum – o mesmo resultado registrado há três semanas. Dilma é rejeitada por 20% dos eleitores – uma oscilação positiva de um ponto porcentual em relação à pesquisa de julho.

Gestão O levantamento também avaliou o grau de aprovação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para 77%, a administração do petista é ótima ou boa – o mesmo índice obtido na pesquisa anterior.

Para 4% dos eleitores, o governo é ruim ou péssimo, e para 18%, regular.