TERCIO DAVID – estadão.com.br

SÃO PAULO – O Santos é o novo campeão da Copa do Brasil. O time conquistou o inédito título mesmo com derrota de virada na final para o Vitória por 2 a 1, no Estádio do Barradão, em Salvador, nesta quarta-feira. Além do título, a equipe de Dorival Júnior fez também o artilheiro da competição, pela primeira vez, com Neymar (11 gols).

Uéslei Marcelino/Agif/AE
Uéslei Marcelino/Agif/AE
Robinho levanta o troféu da Copa do Brasil

No jogo de ida, a equipe santista havia vencido por 2 a 0 e poderia até mesmo perder, por um placar simples, que ainda sim levaria o título da mesma forma. Com a conquista, o Santos ganhou também o direito de disputar a Copa Libertadores do ano que vem. No entanto, o Vitória ainda pode ficar com a vaga, caso a equipe santista sai campeã também da Copa Sul-Americana, segundo informou o diretor da CBF Virgílio Elísio.

Com o resultado, o Vitória pelo menos tem o mérito de terminar a competição invicto em casa, tomando apenas um gol.

Calor incomum. Apesar da chuva forte, o Santos passou calor no primeiro tempo, provando do seu próprio veneno.. O Vitória passou a etapa toda sufocando o time paulista no campo de defesa, jogando quase sempre pelas laterais, também por que o gramada estava em péssimas condições.

Num destes cruzamento, aliás, o Vitória até chegou a marcar, com Schwenck, de cabeça. Mas o árbitro Carlos Eugenio Simon anulou acertadamente, alegando impedimento do atacante da equipe baiana.

Ao time de Dorival Júnior restou, então, jogar nos poucos contra-ataques que conseguiu articular, pelo menos para aliviar um pouco a defesa. Neymar, Ganso, Robinho e André pouco conseguiam fazer, sofrendo com a forte marcação e também com o piso bastante irregular.

Num destes contra-ataques, Neymar descolou uma falta pela esquerda do ataque santista. Aos 44, ele mesmo bateu a falta, a bola bateu na defesa e voltou para o atacante, que levantou na área para Dracena subir na marca do pênalti e cabecear no contrapé do goleiro Viáfara e fazer 1 a 0 para o Santos.

No segundo tempo, o Vitória finalmente conseguiu marcar. Logo aos 7, após lançamento na área, Ramón ajeitou de cabeça para Wallace matar no peito e bater de voleio. A bola ainda desviou em Durval e tirou Rafael completamente da jogada.

Apesar de sofrer com o gramado irregular, o Santos ainda sobrava em campo, quando o assunto era qualidade individual. Prova, foram as duas defesas milagrosas de Viáfara, uma numa batida de Robinho – que mesmo caído na área conseguiu bater – e outra num chute à queima roupa de Ganso, que inclusive arrancou aplausos do santista.

O Vitória, mas na base da lutam ainda conseguiu ameaçar algumas vezes. Aos 25, de bola cruzada da direita, Renato acertou uma bela cabeçada no travessão de Rafael.

Numa demonstração de que o Santos não seria campeão tão fácil assim, o Vitória chegou à virada aos 32, quando Júnior recebeu belo passe de Neto na área e tocou na saída do goleiro Rafael.

Escolado da final do Campeonato Paulista, quando passou sufoco na derrota para o Santo André, a equipe santista mostrou maturidade e soube segurar o resultado, sem maiores sustos, nos minutos que faltaram para o apito final.

VITÓRIA 2 x 1 SANTOS

 Vitória – Viáfara; Nino (Gabriel), Anderson , Wallace  e Egídio; Neto, Fernando, Ramón (Renato), Elkesson e Bida  (Adaílton); Schwenck e Júnior. Técnico: Ricardo Silva.

 Santos – Rafael ; Pará, Edu Dracena , Durval e Alex Sandro; Wesley, Arouca e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Marcel), André (Marquinhos) e Robinho  (Rodriguinho). Técnico: Dorival Júnior.

Árbitro – Carlos Eugênio Simon (Fifa/RS); Gols – Edu Dracena, aos 44 minutos do primeiro tempo. Wallace, aos 7, e Júnior, aos 32 minutos do segundo tempo. Renda e público – Não disponíveis; Local – Estádio Barradão, em Salvador (BA)