estadão.com.br

ATLANTA –  O presidente americano, Barack Obama, anunciou nesta segunda-feira, 2, o fim das operações de combate dos EUA no Iraque.  Com a medida, o número de soldados no país, que era de 140 mil quando Obama assumiu, caíra para 50 mil no final deste mês.

 Jason Reed /Reuters

Jason Reed /Reuters 

Obama participa de encontro com veteranos

  Em um discurso para veteranos do Exército americano em Atlanta, na Georgia, Obama confirmou a transição das operações de segurança no país para os iraquianos. As tropas americanas no país terão apenas funções de apoio e treinamento.

 ” Prometi um final responsável para a guerra do Iraque. Após assumir, anunciei nossa estratégia e a transição para Iraque. Prometi que em agosto de 2010 nossa missão de combate acabaria. E é o que estamos fazendo. Conforme o prometido e dentro do previsto”, disse o presidente. As missões de combate acabarão no dia 31.

Segundo Obama, desde o início de sua presidência até o final de agosto, 90 mil soldados já terão voltado para casa.

 Ainda de acordo com o presidente, o fim das operações militares não indica que a guerra chegou ao fim. As tropas que permanecerão no Iraque para treinar e apoiar o exército local terão de continuar lá por um tempo.

 “A dura realidade é que o fim do sacrifício americano no Iraque ainda não terminou”, disse Obama.

 O final da guerra era uma das pedras angulares da campanha do democrata na corrida pela Casa Branca em 2008. Em 2002, quando ainda era um senador estadual por Illinois, qualificou o conflito de ‘guerra estúpida’ em um discurso.