Julia Baptista, do estadão.com.br

SÃO PAULO – Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 14, em Belo Horizonte (MG), os delegados Alessandra Wilke, Ana Maria dos Santos e Edson Moreira, responsáveis pelas investigações que apuram o desaparecimento de Eliza Samudio, disseram que foram encontrados vestígios de sangue humano e fios de cabelos no sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte. A delegada Alessandra assegurou que Eliza foi mantida em cárcere privado no sítio em Esmeraldas.

O sangue, que estava em um colchão em um dos quartos, e os fios de cabelo serão comparados, por meio de exame, com o DNA de Eliza. Os delegados disseram que os vestígios foram encontrados ontem, durante perícia no local.

A delegada Alessandra Wilke disse que um boletim de ocorrência foi feito pela polícia pois a equipe de perícia que voltou hoje ao sítio notou que o local estava “diferente” de ontem. Ela afirmou que muitas pessoas têm acesso ao local.