Luiz Fernando lima/Tribuna da Bahia

 Enquanto o governador Jaques Wagner (PT) embarcou ontem, para acompanhar o presidente Lula em viagem à África do Sul, o outro candidato que integra o palanque de Dilma Rousseff (PT) na Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB), participou da caminhada que a presidenciável promoveu pelo centro da cidade de São Paulo.

 De acordo com o presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, Geddel foi convidado pela ministra e pelo candidato a vice-presidência Michel Temer (PMDB) para participar do evento. Geddel saiu de Brasília, onde cumpria agenda como deputado federal, e encontrou com Dilma no aeroporto de São Paulo.

 Para Lúcio, a participação de Geddel mostra a força da presidenciável petista na Bahia. “O palanque baiano de Dilma estava junto com ela, acompanhando, mostrando apoio”, defendeu. Já para o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, local de fazer campanha para Dilma é na Bahia. “Nós estamos organizando a campanha da nossa candidata no nosso estado, estruturando os espaços, fortalecendo a base de apoio”, alfinetou. Geddel, por outro lado, reitera que achou de extrema importância a participação no ato da capital paulista.

 

“Estamos inteiramente engajados na campanha de Dilma e ficamos ainda mais confiantes com a receptividade dos paulistas à nossa candidata, que a acolheram com todo o carinho, assim como ela sempre é recebida pelos baianos”, ressaltou o candidato ao Governo da Bahia. Lúcio complementou a declaração do irmão afirmando que em São Paulo vivem muitos baianos.

Jonas Paulo minimizou a participação do peemedebista. De acordo com Jonas, “o nosso (PT) papel é fazermos da Bahia um centro estratégico para a campanha de Dilma” define. Isto, segundo ele, para que a vantagem da candidata petista sob o tucano na Bahia seja grande para compensar qualquer eventual derrota em outros estados.

O presidente estadual do PT foi taxativo ainda ao afirmar que na Bahia a disputa está entre dois candidatos com projetos antagônicos. “Assim como no plano federal, a disputa eleitoral na Bahia em questão envolve o programa do PT contra as propostas do PSDB/DEM”, sentenciou.

Este é um grande erro na opinião dos peemedebistas. “Dilma garantiu acesso pleno dos peemedebistas quando esteve na nossa convenção no mês passado. Ela assumiu o compromisso de trabalhar junto com Geddel caso os dois sejam eleitos”, argumenta Lúcio. Para Jonas, a população sabe quem é quem nesta campanha. “Temos os mesmos projetos, as mesmas ideias e os mesmos sonhos que Dilma e Lula, não há confusão”, conclui.