A TARDE On Line

Cerca de 166 fornos de produção de carvão ilegais foram destruídos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) nas cidades de Encruzilhada, Cândido Sales, Belo Campo e Ribeirão do Largo, região sudoeste do Estado, numa operação realizada entre os dias 14 e 23 de junho.

Durante a fiscalização, a equipe impediu a continuidade de seis desmatamentos ilegais para a produção de carvão e apreendeu um caminhão carregado com 50 MDC (metros de carvão vegetal) sem o Documento de Origem Florestal (DOF). O dono da carga foi autuado por crime ambientel por transportar o material sem o DOF.

De acordo com o coordenador regional de Fiscalização do Ibama em Vitória da Conquista, Ariosvaldo Antunes, neste período foram emitidos mais de R$ 2 milhões em multas referentes ao desmatamento de 348 hectares de Mata Atlântica na região. O coodenador disse ainda que desde o início do mês agentes trabalham no combate ao desmatamento e degradação ambiental.

“Desde o dia 1º de junho o Ibama trabalha no combate a desmatamentos para a produção de carvão vegetal na região. Agentes (Ibama) evitaram a continuidade de oito desmatamentos onde já foram destruídos 806 hectares de Mata Atlântica. Destruímos 358 fornos de carvão de grande porte só este mês”, afirmou Ariosvaldo.

O coordenador informou que as áreas fiscalizadas foram demarcadas em abril após sobrevoo na região. Além disso, denúncias que foram recebidas por meio da ouvidora da Linha Verde (0800-61-80-80), que fica em Brasília, ajudaram o ógão a identificar as áreas desmatadas.