Do R7

Edmar Melo / Agência Estado

Foto por Edmar Melo / Agência Estado
Branquinha é uma das cidades mais destruídas em Alagoas

O número de mortos pela chuva no Nordeste subiu para 57 na manhã desta terça-feira (29). De acordo com a Defesa Civil de Alagoas, outras três pessoas foram vítimas de enxurradas em União dos Palmares e por isso o número no Estado chega a 37. Em Pernambuco, a chuva já deixou 20 mortos.

Em Alagoas, 28 cidades já foram afetadas pelas chuvas, quatro estão em situação de emergência e 15 em estado de calamidade pública. Ainda há pelo menos 69 pessoas desaparecidas, segundo os bombeiros.

Já em Pernambuco, o último boletim informava que as chuvas já tinham deixado 20 mortos. Uma menina de dois anos foi soterrada junto com a família na zona norte de Recife na segunda-feira (28) e uma mulher de 34 anos também morreu em uma enxurrada no município de Gameleira.

Com o desabamento da casa na zona norte de Recife, que foi atingida por deslizamentos de terra, seis pessoas foram retiradas da lama pelos vizinhos e levadas para hospitais. Mas a menina não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. As outras cinco, que são da mesma família, continuam internadas. Com essa criança e a outra mulher de 34 anos sobe para 20 o número de mortos pela chuva em Pernambuco.

A Defesa Civil contabiliza pelo menos 67 municípios pernambucanos afetados pelas chuvas, 12 em estado de calamidade pública e 27 em emergência. O número de desabrigados já chega a 26.966 e o de desalojados a 55.643. Segundo uma avaliação de danos das coordenadorias municipais, pelo menos 14.136 casas e 142 pontes foram destruídas pelas chuvas.

Após reunião com o presidente Lula na noite de segunda-feira (28), o ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, informou que as vítimas das chuvas em Alagoas e Pernambuco poderão sacar seus benefícios previdenciários a partir desta terça-feira (29).

Serão adiantados os benefícios permanentes do INSS, tais como pensão, aposentadoria e BPC (Benefício de Prestação Continuada, destinado a pessoas de baixa renda idosas ou incapacitadas por deficiência física).

Nesta terça, o Exército Brasileiro está terminando de montar o primeiro hospital de campanha em Alagoas, no município de Murici. Ele tem capacidade para atender cerca de 300 pessoas por dia. Segundo a enfermeira responsável, Major Simone Moura, 25 pessoas já estão no local, mas o efetivo deve aumentar. Ela explica que os pacientes poderão fazer pequenas cirurgias e passar por atendimentos de emergência, clínica médica e pediatria.

Simone explicou que esse é o segundo hospital de Campanha do Exército para as vítimas das chuvas no Nordeste. O primeiro foi montado em Palmares, em Pernambuco e começou a operar na semana passada.

O governo de Alagoas instituiu uma comissão especial para serviços de infraestrutura e de reconstrução nas cidades atingidas pelas enchentes. O decreto foi publicado na segunda-feira (28) no Diário Oficial. A comissão especial vai definir, incrementar e agilizar os trabalhos de construção, reconstrução e recuperação de residências e prédios públicos nos municípios alagoanos atingidos pelas chuvas das últimas semanas.