O delegado Marcos Vinicius comanda a operação

 Juscelino Souza | A TARDE

 Os moradores de Itapetinga foram despertados nessa terça-feira, 22, pela intensa movimentação de viaturas das polícias civil, militar e de operações especiais com homens fortemente armados pelas ruas da cidade. Era o começo da “Operação Picasso”, em cumprimento a 50 mandados de prisão e busca e apreensão na região. De acordo com o delegado Marcos Vinícius de Oliveira, da 21ª Corpin de Itapetinga, já foram cumpridos 39 mandados, mas ele não esclareceu quantas prisões foram realizadas.

 O objetivo da ação conjunta, que também se estende a Itororó e Itabuna, é prender traficantes de crack e cocaína e desarticular pelo menos seis quadrilhas ligadas a Jackson Vicente, mas a operação “vazou” pela internet e todos os homens ligados ao bandido desapareceram da cidade.

 Uma fonte da PM afirmou que um dos traficantes de Itapetinga, conhecido como Joãozinho Matador, teria alertado os comparsas da operação por MSN, mas não ficou claro como o traficante ficou sabendo da ação policial.

 A influência do traficante, também conhecido como “Jack Matador” ou “Jack Bombom”, é notória na região. Mesmo preso no sul do Estado, continua comandando a venda de drogas, compra de armas e ordenando a execução de rivais e usuários inadimplentes.

 Os principais traficantes são conhecidos por incorporar ao nome ou apelido a área de atuação em Itapetinga. Os mais procurados são Valdir do Sem-terra, Diego da Beira-rio, Neu Bagulho da Piaba, Bilala da Tancredo Neves e Bem-te-vi do Clodoaldo.