Gazeta Esportiva

Treinador mais velho na África do Sul-2010, o alemão Otto Rehhagel, de 71 anos, parece predestinado a alcançar feitos importantes pela Grécia. Há seis anos, o comandante levou o país ao inédito título da Eurocopa. Nesta quinta-feira, fez parte do time grego que venceu pela primeira vez em uma Copa do Mundo. A vítima: a Nigéria, derrotada de virada por 2 a 1, no estádio Free State, em Bloemfontein.Antes da partida, a Grécia nem sequer havia marcado um gol em Mundiais. Contudo, Salpingidis e Torosidis fizeram a torcida soltar o grito engasgado na garganta diante de um rival que atuou com um a menos desde a etapa inicial – pela expulsão de Kaita.

O resultado deixa a Argentina na liderança isolada do grupo B (seis pontos) e bem próxima da classificação para as oitavas de final. Os gregos estão com três ao lado da Coreia do Sul. A Nigéria segue sem pontuar. Todos os integrantes da chave permanecem com chances.

Na última rodada do grupo B, a Grécia decide seu futuro contra a Argentina, em Polokwane. Já a Nigéria encerra a participação na primeira fase diante da Coreia do Sul, em Durban. As partidas estão marcadas para o dia 22 (terça-feira).

JogoA Grécia iniciou o confronto sem demonstrar qualquer evolução em relação à derrota contra a Coreia do Sul. Sem criatividade no meio-campo, a campeã da Europa de 2004 parecia um bando desorganizado. O time do técnico Otto Rehhagel não fazia jus à vaga no Mundial.

A Nigéria, aliás, também estava longe de empolgar. Ainda assim, o time africano aproveitou um lance de sorte para abrir o placar. Na cobrança de falta de Uche na esquerda, aos 16 minutos, Odemwingie encolheu o pescoço e deixou a bola passar direito. O goleiro Tzorvas acabou enganado na jogada.

O monotonia em campo foi encerrada em uma jogada infantil de Kaita. Aos 33 minutos, o meio-campista perdeu a cabeça e tentou agredir Torosidis em uma disputa em que a bola já havia saído de campo. Resultado: cartão vermelho.

O vacilo africano fez a Grécia mudar de postura. O técnico Otto Rehhagel colocou o atacante Samaras na vaga do zagueiro Papadopoulos. O gol de empate quase saiu aos 39 minutos, quando Haruna salvou em cima da linha a finalização do próprio Samaras.

Aos 44 minutos, a Grécia, enfim, empatou. Salpingidis mandou o torpedo de longe e comemorou o desvio de Haruna que matou o goleiro Enyeama. Foi o primeiro gol dos gregos na história do Mundial.

Para o segundo tempo, a Nigéria apostou na ousadia e resolveu medir forças mesmo com um a menos em campo. Os africanos tiveram uma oportunidade incrível de marcar o segundo gol, mas Obasi errou o alvo sem goleiro.

Até na Copa do Mundo, o famoso ditado “quem não faz, toma” não perdoa. A Grécia assegurou a virada aos 26 minutos. Enyeama não conseguiu segurar a bomba de Tsiolis e permitiu o gol de Torosidis na sobra. Os gregos foram ao delírio em Bloemfontein.