ANDRÉ CARDOSO – Agência Estado

Dunga valorizou a vitória na estreia da Copa do Mundo, mas admitiu que a seleção brasileira pode render mais do que mostrou nos 2 a 1 sobre a Coreia do Norte, nesta terça-feira, no estádio Ellis Park, em Johannesburgo. “Estou satisfeito pela vitória, mas a gente quer sempre mais, nunca se contenta”, explicou o treinador.

Wilton Júnior/AE

Wilton Júnior/AE

Dunga substituiu Kaká no segundo tempo

Veja também:
link JOGO –
Leia como foi Brasil 2×1 Coreia do Norte
especial RAIO-X – Os números da partida
especialRAIO-X – Os números da partida
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: A estreia
mais imagens GALERIA – Imagens de Brasil x Coreia
tabela TABELA – Jogos | Classificação | Simulador

Durante a entrevista coletiva após o jogo, Dunga lembrou que a estreia é sempre “muito difícil”. “Tem a ansiedade e o nervosismo”, explicou o treinador. Para piorar a situação, ele contou que enfrentar um adversário “totalmente fechado”, como a Coreia do Norte, dificultou a vida da seleção brasileira.

“O Brasil fez uma boa partida, principalmente no segundo tempo. No primeiro, faltou um pouco de velocidade”, avaliou Dunga, que ainda elogiou a atuação do adversário. “Vocês têm que ver também que a movimentação da Coreia para fechar os espaços na defesa era quase perfeita”.

O treinador lamentou o gol sofrido no final do jogo. “A princípio, gostaria de marcar gols e não levar nenhum. Mas isso acontece, é normal do futebol”, disse Dunga, que também revelou que a saída de Kaká aos 32 minutos do segundo tempo já estava prevista, pois ele está voltando de contusão.

Além da troca de Kaká por Nilmar, Dunga fez mais duas mudanças no segundo tempo: Daniel Alves e Ramires entraram, respectivamente, nos lugares de Elano e Felipe Melo. Apesar disso, ele garantiu que não deve mexer no time titular para o próximo jogo do Brasil, no domingo, contra a Costa do Marfim.