Uma publicidade em ônibus anti-islamismo nova esta circulando em Nova York. Em meados do mês de maio, cerca de 30 ônibus da cidade começaram a expor anúncios, que dizia: “Deixando o islã? Opinião sobre sua cabeça? A família está te ameaçando?” O anúncio mostra o site refugefromislam.com.

Os opositores do anúncio dizem que promovem uma mensagem anti-muçulmana e tem como objetivo chamar as pessoas que estão longe da fé. Mas os apoiadores da campanha dizem que é um encontro real necessidade de disponibilizar recursos para os muçulmanos que querem deixar a fé.

“Como uma ex-muçulmana, eu conheço várias pessoas convertidas que são perseguidas por abandonarem a fé islâmica”, escreveu ao site americano de notícias evangélicas The Christian Post James Sabatina, muçulmana crente que viveu na Alemanha.

Ela está vivendo sob proteção policial após abandonar o islã por sofrer com ameaças a sua vida. Ela já se mudou 16 vezes desde 2001 para evitar sofrer danos físicos por parte de muçulmanos e familiares. “Milhares de convertidos estão sendo torturados e mortos a cada ano. A campanha não é apenas a concretização da liberdade religiosa, porém é necessária para os ex-muçulmanos”, disse James.

Em seu livro, que virou bestseller, My Fight for Faith e Freedom (Minha luta para a fé e liberdade), James fala que não tinha a quem recorrer depois que sua família descobriu que ela havia se convertido ao cristianismo. Em uma entrevista recente ao The Christian Post, James disse que quando os muçulmanos se convertem ao cristianismo sabem que serão perseguidos por membros de sua própria família.

A ativista conservadora por trás do anúncio veiculado nos ônibus, Pamela Geller, disse que a campanha tem intenção de ofender aos muçulmanos, mas apoiar aqueles que já tomaram se decidiram por Jesus.

“Não é orientada à fé muçulmana”, disse Geller, que dirige a organização Pare a Islamização da América, a Associated Press. “Ela não diz ‘deixar ‘, diz ‘deixando’ com um ponto de interrogação”.

O mesmo anúncio pode ser visto ao lado de dezenas de ônibus em Miami (EUA). Os anúncios começaram a aparecer no final de abril, mas foram temporariamente retirados por ter sido considerado ofensivo ao Islã. Os anúncios foram posteriormente colocados em ônibus de Miami.

Em Detroit (outra cidade americani), onde há uma grande comunidade muçulmana, o anúncio não pode ser colocado nos ônibus. As autoridades de transporte de Detroit recusaram-se a permitir que o anúncio apareça em seu ônibus.

O Thomas More Law Center, escritório de advocacia sem fins lucrativos com sede em Ann Arbor, Michigan, abriu um processo federal dia 29 de maio contra a Mobilidade Suburbana de Transportes Regionais, em nome dos patrocinadores do anúncio. Os demandantes alegam que a agência de transporte violada os direitos à liberdade de expressão e as cláusulas de proteção religiosa descrita na Constituição americana.

“Em Detroit, funcionários do governo fornecem o direitos dos ateus de expressar sua visão de que Deus não existe, sem se preocupar em ofender aos cristãos”, disse o advogado sênior Robert Muise. “No entanto, esses mesmos funcionários politicamente corretos censuram o discurso que pode ofender muçulmanos. Essa descriminalização é ofensiva e viola nossa Constituição”.

O anúncio “Deixando o Islã?” escrito nos ônibus de Nova Iorque está prevista para ser veiculada por um mês.

Fonte: Gospel+