da Folha

A Polícia Civil anunciou neste domingo (6) a prisão de um homem considerado um dos principais invasores de redes de dados do país. O hacker é o comerciante João Sperandio Neto, 24, que obteve informações confidenciais de um banco de investimento e exigia o pagamento de US$ 500 mil para não desviar US$ 2 milhões das contas. A prisão foi mantida em sigilo até ontem pela polícia para apurar se outras pessoas estavam envolvidas no golpe.

A polícia monitorava o comerciante desde o dia 1º de junho quando funcionários do setor de segurança do banco revelaram a tentativa de extorsão. Eles disseram que receberam e-mails de um homem, identificado como John, com senhas de diretores e extratos das movimentações de correntistas.

No mesmo e-mail o hacker também enviou a proposta de venda de um projeto de segurança e o número de um celular comprado utilizando informações pessoais de um dos diretores do banco. Em outro e-mail, o hacker se identificava como Lino e exigia os US$ 500 mil.

Sperandio foi preso na última quinta-feira (3) na sede da empresa empresa dele no bairro da Bela Vista, região central de São Paulo, durante um encontro com representantes da instituição financeira. Os policiais conheciam o comerciante devido a outras ações de invasão de redes bancárias.

No depoimento à polícia, o comerciante negou a invasão da rede de dados do banco. Ele disse que o objetivo dos e-mails enviados ao banco era demonstrar a fragilidade do sistema de segurança e oferecer uma solução eficiente. Sperandio confirmou a compra a de chip de celular utilizando números de documentos de diretores da empresa. O hacker foi autuado por extorsão.