da Folha

Brazil's Robinho, left, shoots past Tanzania's Stephano Mwasika to score the first goal in their friendly soccer match in Dar es Salaam, Tanzania Monday, June 7, 2010. Brazil are preparing for the upcoming World Cup, where they will play in Group G. (AP Photo/Rebecca Blackwell)

Rebecca Blackwell/AP  
 
Robinho chuta cruzado, no canto direito do goleiro para abrir o placar para o Brasil

O Brasil venceu a Tanzânia por 5 a 1, nesta segunda-feira, no estádio Nacional, em Dar Es Salaam, e encerrou sua preparação para a Copa do Mundo-2010 esbanjando o mesmo estilo do time em toda a era do técnico Dunga.

Mais do que isto, foi um bom teste para mostrar que o meia Kaká parece estar recuperado fisicamente das dores na coxa. “Sei que falta alguma coisa”, afirmou o jogador, em entrevista para a TV Globo. “Ainda estou um pouco preso”, completou ele.

A equipe brasileira chegou a sofrer uma leve pressão antes de abrir o placar no primeiro tempo e cedia a posse de bola para o adversário. No entanto, foi rápida e eficiente nos contra-ataques para fazer seus gols.

Os contragolpes em velocidade eram puxados sobretudo por Robinho e Michel Bastos, que chegou a dar muito espaço em seu setor defensivo, na lateral esquerda. Kaká, mesmo ainda tímido em campo, marcou para o time na segunda etapa.

Do time considerado titular, apenas o goleiro Julio Cesar, com dores nas costas, não atuou — ele ficou em Johannesburgo, na África do Sul. Ele foi substituído por Gomes.

O Brasil entrou com Gomes; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano e Kaká; Robinho e Luis Fabiano.

     
 
 

O jogo

O Brasil levou muitos sustos na primeira etapa, principalmente pelo lado esquerdo da defesa brasileira, já que Michel Bastos atacava demais e cedia muitos espaços.

Mesmo tímido até então no jogo, o time de Dunga abriu o placar aos 10min, e de forma polêmica. Robinho recebeu passe dentro da área e chutou cruzado para marcar. Antes, no entanto, o jogador havia dominado com o braço no começo da jogada. O auxiliar levantou a bandeira, mas o árbitro mandou seguir.

A Tanzânia continuava chegando bem, e Gomes demonstrava segurança no gol. Depois de levar pressão, o Brasil marcou o segundo em um avanço de Michel Bastos pela esquerda. Ele cruzou para Robinho marcar de cabeça.

“A gente tem que melhorar. O time está errando muito na saída de bola”, disse Robinho no intervalo.

Na segunda etapa, dentre várias substituições, Dunga foi ousado e testou Ramires de segundo volante. A troca deu certo. O meio-campista do Benfica apareceu como elemento surpresa, driblou um zagueiro e marcou o terceiro.

Depois, Kaká ainda marcou o quarto, de peito, após aproveitar cruzamento da direita. A Tanzânia ainda conseguiu diminuir no final. Azziz aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou com força. Ramires, nos acréscimos, fez o quinto, de cabeça.