Cristãos querem referendo para que a população decida se aceita o casamento homossexual

 Protesto contra casamento gay na Argentina

Integrantes de duas entidades evangélicas da Argentina protestaram em Buenos Aires contra o projeto que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que tem grandes chances de tornar-se lei em meados de julho.
O protesto foi convocado em frente a sede do Parlamento pela Aliança Cristã de Igrejas Evangélicas (Aciera) e a Federação Confraternização Evangélica Pentecostal (Fecep).
As duas entidades pedem que o governo convoque um referendo para que a população decida se aceita o casamento homossexual. A câmara dos deputados já aprovou a lei, no começo deste mês, por 126 votos a favor, 109 contra e cinco abstenções. “Apoiamos a ideia do plebiscito. A sociedade deve ser consultada e o governo tem que escutar seus eleitores”, disse Rubén Proietti, chefe da Aciera.

Ele afirmou que as duas organizações conseguiram reunir “mais de um milhão de assinaturas” para dar respaldo à petição e afirmou que “uma criança deve crescer onde exista uma mãe e um pai”.

O projeto de casamento homossexual começou a ser discutido na semana passada em comissões pelo Senado.

Um grupo de 15 sacerdotes da Província argentina de Córdoba publicou na quarta-feira passada um documento no qual se diz a favor do projeto e afirma entender a homossexualidade “como uma maneira distinta, diferente, diversa de viver a sexualidade e o amor”.

Desde dezembro, cinco casais homossexuais se casaram na Argentina em meio a uma polêmica judicial, e mais de 60 entraram com recursos também tentando se casar.

Fonte: Folha Gospel