Pensar no ser humano e provê-lo de melhores condições de vida sempre foi uma ação concreta do Governo Municipal. Desde a primeira gestão do prefeito Guilherme Menezes, em 1997, a cidade já vivencia um jeito novo de ser cuidada e, a partir de então, várias ações colaboram para enfrentar e reduzir as situações de violação dos direitos humanos. Um exemplo dessa política de assistência social foi a implantação do Programa Sentinela, em 2001.

Em 2008, com a nova política do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), modelo de gestão utilizado no Brasil para operacionalizar as ações de assistência social, o Sentinela foi ampliado, transformando-se no Centro de Referência Especializado em Assistência Social – CREAS, oferecendo apoio, orientação e acompanhamento a crianças, adolescentes, jovens, mulheres, pessoas idosas, pessoas com deficiência e suas famílias, que vivenciam situações de ameaça ou violação de direitos por ocorrência de abandono, violência física, psicológica ou sexual.

Ações do CREAS – Nesse mês de junho, o Centro de Referência Especializado em Assistência Social apresenta uma proposta de descentralização do serviço, batizado de “CREAS Itinerante”. Segundo Kátia Silene Freitas, coordenadora do órgão, a ação vai proporcionar a famílias que não tem condições de chegar ao serviço o mesmo atendimento oferecido na sede do programa. “Nós vamos aos bairros com assistente social, psicóloga, facilitando o acesso ao serviço”, disse. Para Vanessa Santos, assistente social do programa, “essa é uma oportunidade de divulgar as ações do serviço, prestando assistência a todas as famílias, estabelecendo também uma aproximação com a comunidade”, disse.

A atividade será realizada nessa quarta-feira, 2, a partir das 14h, no Loteamento Vila América e localidades adjacentes.
SECOM/PMVC