do Tribuna da Bahia

Preocupados com o consumo indiscriminado de bebidas alcoólicas por adolescentes em festas particulares que distribuem bebida livremente, os promotores de Justiça da comarca de Jequié, Maurício Pessoa de Matos e Maurício Foltz Cavalcanti, solicitaram ao Juízo da Infância e Juventude local a proibição da entrada ou permanência de crianças e adolescentes nos forrós “da Margarida”, “do Budega”, “Na Moral”, entre outros.

 Segundo os promotores, a proibição servirá como instrumento de preservação da saúde e da integridade física de crianças e adolescentes, sobretudo diante da comprovada falta de fiscalização por parte dos organizadores dos eventos, no que se refere ao consumo de bebidas alcoólicas por parte do público infanto-juvenil.

De acordo com os membros do Ministério Público estadual, é grande a quantidade de adolescentes que, por conta da distribuição “gratuita” de bebida alcoólica, acabam sendo encaminhados, completamente embriagados, ao Samu e aos postos de saúde instalados no interior dessas festas.

O consumo indiscriminado em festas de forró com bebida livre já foi coibido nos municípios de Senhor do Bonfim e Itiruçu, sendo que, no dia 11 de maio, a Promotoria de Justiça de Jequié fez uma reunião com a secretária municipal de Saúde e coordenadores do Samu, ficando ressaltada a necessidade de restringir com rigor a distribuição e venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes, especialmente em festas particulares em que a bebida é distribuída “gratuitamente”, explicam os promotores.