A população merece uma resposta e as Instituições exigem essa resposta

Na nota, a Associação afirma que “estamos convivendo com um sistema de segurança pública que sangra na sua própria carne”.
image

Veja a íntegra:

É com pesar que a Associação dos Delegados de Polícia do Estado da Bahia (ADPEB), vem a público manifestar-se a respeito de mais uma barbárie que atingiu a Polícia Civil, nesta quarta-feira, 26 de maio, com o Assassinato do Delegado de Polícia, Clayton Leão, em Camaçari.

A morte de mais um colega, a segunda este ano, seguida também de grave atentado a vida da Delegada da 6ª Delegacia, também ocorrido recentemente, corrobora com a afirmativa de que estamos convivendo com um sistema de segurança pública que sangra na sua própria carne, expondo aqueles que, na linha de frente, tentam garantir o direito constitucional de prestar segurança a sociedade.

A população tem se tornado refém não só do crime organizado, mas sobretudo da desídia governamental e incompetência generalizada que norteia a área de segurança pública. Faltam diretrizes concretas, falta estrutura, falta respeito!  Nós, delegados de polícia, somos operadores de um sistema que não mais se sustenta. O modelo de segurança pública no estado da Bahia já se demonstrou ineficaz e tem vitimado as próprias instituições cujo mister é de guardiãs da sociedade. UMA PERGUNTA: A QUEM INTERESSA O CAOS NA SEGURANÇA PÚBLICA?

A população merece uma resposta e as Instituições exigem essa resposta.

A ADPEB solidariza-se com os familiares atingidos e luta para que as mortes e agressões não sejam apenas números em prontuários. A Polícia Civil está de luto pela morte dos seus servidores, entretanto, jamais se deixará intimidar e continuará trabalhando no combate ao crime.

Interior da Bahia