O deputado estadual João Carlos Bacelar (PTN) lembrou hoje que as denúncias de irregularidades em dispensas de licitações na Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) para contratação de empresas de conservação, limpeza e apoio operacional foram feitas por ele ano passado. “Ano passado denunciei aqui, na farra das licitações, que o governo Jaques Wagner continuava a manter relações escusas com empresas ligadas a área conservação, limpeza e apoio operacional, situação que vinha sendo investigada pela Polícia Federal e, naquele momento, não faltaram os áulicos do governo petista e do secretário da Saúde Jorge Solla a me criticar. Pois bem, agora é o Ministério Público quem investiga as relações do governo com essas empresas. A Sesab não conseguiu fazer uma licitação para contratações de empresas do setor, em quase quatro anos de governo”, protestou Bacelar.

De acordo com o deputado, são três inquéritos aberto pelo Ministério Público, porque o MP teme que a Sesab continue usando ‘laranjas’ na constituição das empresas contratadas por milhões. “São pelo menos R$56 milhões em apenas dois anos – 2008 e 2009. No passado, o PT protestava na Assembléia para reclamar da contratação das empresas do chamado G-8. E agora? Como vão justificar que as empresas contratadas por milhões tem proprietários morando em bairros populares, em casas simples do Calabetão, Doron e Vila Canária, com estilo de vida incompatível com aquilo que ganham? Como vão rebater as investigações feitas pela auditoria da 2ª Coordenadoria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que trata do ‘favorecimentos a empresas; morosidade para abertura de licitação; contratos assinados por outros que não o secretário Jorge Solla; e parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE) em data posterior à publicação de contrato’, casos denunciados aqui por mim?”, questionou o parlamentar.

Bacelar lembrou que os contratos auditados foram celebrados com a Monte Sinai Service; Alternativa Serviços e Empreendimentos; Steel Serviços Auxiliares, Obraserv Organização Brasileira e MAP Serviços de Segurança. “Denunciei os contratos dessas empresas, quando questionei porque a Secretaria de Saúde, depois de três anos, ainda não tinha conseguido fazer uma licitação. A mesma pergunta está fazendo o Ministério Público. A esta Casa, a Secretaria de Saúde não responde. Mas vamos ver se ao inquérito do Ministério Público eles não vão se render”, concluiu.

Clique no player e ouça o pronunciamento do Parlamentar na íntegra.

 

Assessoria do Deputado Bacelar