LIMA – Uma embarcação com mais de 200 passageiros afundou na madrugada desta quarta-feira, 26, quando navegava pelo rio Amazonas, próximo a cidade peruana de Iquitos, informaram fontes oficiais.

O almirante Rodolfo Rodríguez, chefe do Comando Geral de Operações da Amazônia confirmou à emissora RPP que até o momento dezenas de pessoas já foram resgatadas com vida do mar, assim como os corpos de duas pessoas. O número de desaparecidos é desconhecido. Outros dados citados pela emissora dão conta de que pelo menos 40 pessoas permanecem presas dentro do barco, outras 80 já foram resgatadas e cem continuam desaparecidas.

A embarcação, que partiu com 150 passageiros, afundou por volta das 2h40 no horário local (3h40 em Brasília), quando seguia para o distrito de Indiana, perto da fronteira com a Colômbia. Rodríguez disse que a embarcação partiu por volta das 20h de ontem e que se presume que “no caminho pegou mais passageiros, assim como combustível e carga ilegal”. “Aqui há uma evidência que mais passageiros embarcaram”, ressaltou e disse que os especialistas da Marinha continuam buscando por desaparecidos.

O almirante confirmou que entre os passageiros havia ao menos um cidadão alemão e quatro brasileiros. “O comando enviou uma embarcação para transportar os sobreviventes para Iquitos, e na zona também está uma embarcação-hospital”, acrescentou.

Conforme a imprensa local, a embarcação “Camila” tinha 12 anos e afundou parcialmente. Um dos sobreviventes, identificado como Héctor Freitas, relatou à “RPP” que no segundo andar do barco viajavam cerca de 150 passageiros e que no terceiro outros cem.

O proprietário do barco, Camilo Montoya, disse que a embarcação estava em boas condições e que a Capitania de Portos deve informar o número exato de passageiros.