O Globo

SEUL – O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, disse nesta segunda-feira que seu país não irá tolerar a brutalidade da Coreia do Norte. Lee afirmou que o regime pagará pelo ataque de Pyongyang que afundou um de seus navios de guerra em março, matando 46 marinheiros sul-coreanos.

Em discurso à nação, no Memorial de Guerra, Lee chamou o incidente de provocação militar, que faz parte de um incessante padrão de ataques realizados pela Coreia do Norte, que inclui a derrubada de uma avião em 1987 que matou 115 pessoas.

” A Coreia do Norte pagará um preço correspondente aos seus atos provocativos ”

– Sempre toleramos a brutalidade da Coreia do Norte. Fizemos isso porque tínhamos um genuíno desejo de paz na península coreana. Mas agora é diferente. A Coreia do Norte pagará um preço correspondente aos seus atos provocativos – afirmou.

Por sua vez, a Coreia do Norte ameaçou nesta segunda-feira disparar contra equipamentos sul-coreano instalados em sua fronteira militarizada para transmistir mensagens contra Pyongyang, e se comprometeu a tomar medidas mais enérgicas se Seul aumentar as tensões.

A Coreia do Sul disse nesta segunda-feira que retomaria as transmissões por alto-falantes que suspendeu por seis anos, como parte de punição pelo afundamento de um de seus barcos de guerra.

Pyongyang nega ter qualquer envolvimento com o ataque à embarcação sul-coreana. Mas, segundo um relatório que investigou o acidente, o navio foi atingido por um tipo de torpedo de 25 quilos usado pela Marinha do país comunista.

Obama apoia resposta da Coreia do Sul

A Casa Branca disse que o presidente dos EUA, Barack Obama, apoia o líder da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e sua resposta ao ataque realizado pela Coreia do Norte contra um navio de guerra sul-coreano, que matou 46 marinheiros.

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, a Casa Branca disse que Seul pode continuar a contar com o total apoio dos Estados Unidos.

A Casa Branca disse que o governo Obama reforça a exigência do presidente Lee Myung-bak para que a Coreia do Norte se desculpe imediatamente e puna os responsáveis pelo ataque.

Hillary: Situação entre Coreias é precária

Em visita a Pequim, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse nesta segunda-feira que o afundamento do barco de guerra sul-coreano provocou uma situação de segurança altamente precária na região e que o governo americano está trabalhando para evitar que aumente a tensão entre os dois países.

Hillary acrescentou que todos os vizinhos da Coreia do Norte, incluindo a China, seu principal aliado, compreendem a seriedade do assunto e querem conter o problema.