do O Globo

Morreu hoje, aos 67 anos, o economista Francisco Gros, que foi presidente da Petrobras e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Antes, Gros havia presidido o Banco Central por duas vezes. A primeira no governo José Sarney, em 1987, e a segunda entre 1991 e 1992, no governo de Fernando Collor de Mello.

Depois de deixar a Petrobras, o economista ocupou a presidência da Fosfértil e atuou como conselheiro da OGX, do empresário Eike Batista. Gros estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em tratamento contra um câncer. Em nota, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, lamentou a morte de Gros:

“É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento de Francisco Gros, que conheci através do saudoso ministro Dílson Funaro e a quem aprendi a admirar como pessoa e como profissional, que prestou relevantes serviços ao país, no setor público e no setor privado”.